Geral

Temporal deixa ao menos 12 pessoas mortas e provoca caos em São Paulo

Crédito: Reprodução/TV Globo

As fortes chuvas que atingiram a cidade de São Paulo e o Grande ABC na noite de domingo e na madrugada desta segunda-feira, 11, causaram diversos transtornos. Por volta das 16h50, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) confirmou 12 mortes em decorrência do temporal. Além dos mortos, há ainda seis feridos.

Somente em Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo, foram registrados quatro óbitos e dois feridos no desabamento de uma casa após deslizamento de terra. As outras mortes foram registradas em São Caetano (3), Santo André (2), Embu das Artes (1), São Bernardo (1) e São Paulo (1).

Na avenida do Estado, na divisa entre São Paulo e São Caetano do Sul, quatro pessoas foram arrastadas pela enxurrada, de acordo com a Defesa Civil. Outras 12 pessoas foram resgatadas na capital paulista pelo Corpo de Bombeiros, sendo quatro mulheres e 8 crianças.

Com o transbordamento do Rio Tamanduateí, a situação na região do Ipiranga, na zona sul, é a mais crítica. A área estava em estado de alerta desde 20h40 deste domingo. Ao meio-dia desta segunda, o CGE informou o fim do estado de atenção no Ipiranga. As Marginais do Pinheiros e do Tietê ficaram travadas em diversos pontos e os motoristas saíram dos veículos enquanto aguardavam o trânsito desafogar.

Em São Bernardo do Campo, um motociclista morreu afogado. Foram registrados na cidade muitos alagamentos e quedas de árvore. Um deslizamento em Embu das Artes teve três vítimas socorridas – sendo uma delas uma criança que veio a óbito no hospital. Santo André teve uma vítima de afogamento e muitos alagamentos. São Caetano do Sul também sofreu com muitos pontos de alagamento.

Ipiranga

Além da região metropolitana, a situação mais crítica se deu também no Ipiranga, bairro da zona sul da capital. Desde as 20h deste domingo o bairro está em estado de alerta, que foi mantido na manhã desta segunda. O Córrego do Ipiranga, o Rio Ribeirão dos Meninos e o Rio Tamanduateí transbordaram.

Em São Paulo, no Parque São Rafael, divisa com o Grande ABC Paulista, um deslizamento de terra deixou uma mãe e duas crianças feridas. Uma das menores está em estado grave e recebeu atendimento em um PS em Sapopemba, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

Somente na capital, entre meia-noite e 10h20, os bombeiros receberam 78 acionamentos de quedas de árvore, 76 chamados sobre desmoronamentos e desabamentos e 698 ocorrências de enchentes e alagamentos.

A Prefeitura de São Paulo convocou às pressas uma coletiva de imprensa sem a participação do prefeito Bruno Covas (PSDB), de licença por motivos pessoais. No lugar dele, como prefeito em exercício, está o vereador e presidente da Câmara Municipal Eduardo Tuma.

Rodízio e zona azul suspensos

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) suspendeu o rodízio e a zona azul em toda a capital em razão do temporal. A Companhia do Metropolitano (Metrô) informou que todas as linhas de metrô funcionam normalmente.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), por volta das 9h se acumulavam na capital paulista 27 pontos de alagamento, sendo 15 transitáveis e 12 intrasitáveis.

O analista de TI André Fernandes, de 32 anos, o analista de Telecom Maurício Cardoso, 35, e o analista de projetos em TI, Rafael Nunes, 28, estavam em um veículo fretado e se deslocavam para o trabalho em Alphaville, em Barueri, na região metropolitana.

Eles saíram de casa às 6h e até as 10h só haviam conseguido chegar até a Ponte do Tatuapé, onde ficaram travados em função do engarrafamento na Marginal do Tietê. Eles desceram do fretado e voltaram a pé para casa, pois moram na região.

Apesar dos congestionamentos, a tempestade perdeu força e não há mais registro de precipitações, de acordo com o CGE. Na região do Grande ABC, o Rio Tamanduateí e seus afluentes ainda estão com as cotas muito elevadas ou extravasadas, o que ainda mantém regiões em estado de alerta por precaução.

Tópicos

chuvas mortes SP