Edição nº2581 13/06 Ver edições anteriores

Tem novidade para a beleza do rosto

Junto com o botox, o ácido hialurônico se firmou nos últimos anos como opção para rejuvenescer o rosto sem precisar passar pelo bisturi.

O produto é usado para preencher rugas e sulcos, como o nasogeniano, conhecido como bigode chinês, que aparece entre a asa nasal e o canto da boca ao longo do processo de envelhecimento.

Agora, médicos começam a dar um novo uso a ele, estendendo seus benefícios para a estética facial.

O ácido está sendo utilizado para fazer o que os especialistas chamam de ancoramento facial. O objetivo é restaurar a volumetria do rosto, que se altera com o passar dos anos.

A substância é aplicada em vários pontos da face, alguns derivados do lifting, procedimento cirúrgico de rejuvenescimento.

“Idealmente abordamos a face de cima para baixo. Mesmo que a queixa do paciente seja o bigode chinês, começamos por pontos de ancoragem na região entre a parte superior da orelha e o canto do olho, num osso chamado arco zigomático”, explica o cirurgião plástico Vitorio Maddarena, de São Paulo.

“Em seguida, parte-se para o final desse osso, já na parte inferior do olho, para depois repor o volume na maçã do rosto propriamente dito.”

Depois de tudo isso é que se chega ao sulco nasogeniano. “Em alguns casos a aplicação do ácido torna-se desnecessária, pois com o escoramento dos tecidos, o volume que se dobra e dá origem ao sulco já não pesa tanto nessa área”, diz Maddarena.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.