O Dia

‘Tem mais negro no crime’, diz deputado que quebrou placa de Marielle

Declaração de Daniel Silveira ocorre na véspera do Dia da Consciência Negra

Brasília – Em um discurso nesta terça-feira na Câmara dos Deputados, o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) disse que a população negra tem maior índice de mortalidade por estar mais envolvida em crimes. “Tem mais negros com armas, mais negros no crime e mais negros confrontando a polícia”, afirmou o parlamentar. Ele é o mesmo que ficou conhecido por quebrar uma placa de rua com o nome da ex-vereadora carioca Marielle Franco, assassinada no ano passado junto com o motorista Anderson Gomes.

A declaração de Silveira ocorre na véspera do Dia da Consciência Negra e ele também disse que a Polícia Militar não pode ser culpada pela morte de negros “porque um negrozinho bandidinho tem que ser perdoado”.

De acordo com o deputado, os dados do Ipea sobre as mortes na população negra são são verdadeiros e não existe o assassinato de negros nas favelas do Rio de Janeiro.

Silveira aproveitou sua fala para elogiar o deputado Coronel Tadeu, também do PSL, que seguiu o seu exemplo e rasgou uma placa que denunciava o genocídio negro no Brasil em exposição na Câmara.

O quadro destruído por Tadeu, que também é policial militar, mostra um jovem negro algemado sendo morto por um polícial, que virava as costas para ele. A obra é do quadrunista Carlos Latuff e trazia dados sobre violência contra negros. “Se fazem isso contra um cartaz, imagine contra gente de carne, osso e pele negra!”, afirmou o quadrunista.