Esportes

Técnico demitido após Pan volta ao comando da Seleção de handebol

Washington Nunes, que caiu após eliminação na semifinal em Lima, está de volta ao posto

Técnico demitido após Pan volta ao comando da Seleção de handebol

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) anunciou na última terça-feira o retorno de Washington Nunes para o comando da Seleção Brasileira masculina de handebol. O profissional, que havia sido demitido em agosto do ano passado, após não conseguir classificar a equipe aos Jogos de Tóquio no Pan de Lima, foi nomeado para dirigir o grupo nas próximas grandes competições à vista, o Mundial e no Pré-Olímpico, em janeiro e março de 2021, respectivamente, quando o país terá nova oportunidade de se qualificar para os Jogos de Tóquio.

No Pan, a Seleção foi eliminada na semifinal, após uma derrota fora dos planos para o Chile, por 32 a 29. Na época, a CBHb era presidida por Ricardinho Souza, que anunciaria Daniel Gordo como novo treinador.

Em março deste ano, o atual presidente, Manoel Luiz Oliveira, retornou ao cargo. Ele estava afastado em meio à investigações sobre a gestão da modalidade, mas os denunciantes não levaram o caso para frente. Uma de suas primeiras ações foi demitir Gordo. Agora, ele chamou Nunes de volta.

– Acreditamos muito na capacidade do Washington e da comissão técnica. E, também, acreditamos muito na capacidade dos atletas. Achamos que essa decisão irá, com certeza, nos dar as condições de conquistar a tão sonhada vaga da Seleção Brasileira masculina para os Jogos de Tóquio – afirmou Oliveira.

Washington esteve à frente da Seleção na conquista do melhor resultado do time na história do Campeonato Mundial, na Alemanha e na Dinamarca, em janeiro de 2019. O Brasil alcançou um inédito nono lugar.

– Nós da CBHb refletimos muito e chegamos a conclusão de que o retorno do Washington ao cargo de técnico é a melhor e mais coerente escolha. Washington é um treinador altamente capacitado e conhece esse grupo melhor do que ninguém. Eles juntos iniciaram este ciclo e conseguiram a inédita 9ª colocação no último Mundial. Foi exatamente essa colocação que nos deu a oportunidade de participar do Pré-Olímpico. Estamos convictos de que essa comissão, em conjunto com os atletas, vai trabalhar intensamente para buscar a tão sonhada vaga olímpica para Tóquio – explica Fernando Pacheco, Gerente de Esportes.

Com o adiamento dos Jogos de Tóquio, que originalmente teriam início na sexta-feira 24 de julho de 2020, para o período de 23 de julho a 8 de agosto de 2021, os calendários das Federações Internacionais também sofreram alguns ajustes e modificações.

– Neste momento, um fator de preocupação é o retorno dos atletas às atividades. Estamos na torcida para que todos consigam voltar muito bem fisicamente e dar conta de trabalhar forte em seus clubes. E, o fato de termos o Mundial antes do Pré-olímpico, vai ser extremamente positivo porque vamos conseguir colocar o grupo num nível de competição alto e de observação em tudo o que podemos fazer no Mundial e consequentemente, no Pré-Olímpico – avalia Washington Nunes.

Os compromissos da Seleção Brasileira masculina têm início em janeiro de 2021, com participação no Mundial do Egito, de 13 a 31. Pela primeira vez, o evento contará com 32 seleções. O Brasil conquistou a vaga ao se classificar em segundo no Campeonato Sul-Centro Americano de handebol Masculino realizado em Maringá (PR), em janeiro de 2020.

Na sequência, a Seleção embarca para Noruega para disputar o Pré-Olímpico entre os dias 12 e 14 de março de 2021 objetivando alcançar a sonhada vaga olímpica para os Jogos de Tóquio. Os Torneios Pré-Olímpicos femininos e masculinos foram adiados em consequência da pandemia do coronavírus, porém as sedes e os grupos foram mantidos. O Brasil enfrentará a Noruega, o Chile e a Coreia do Sul para duas vagas.

Além de Washington Nunes, integram a comissão técnica Hélio Lisboa Justino e Diogo Castro como auxiliares, Cláudio Machado como preparador físico, Gustavo Barbosa como fisioteraputa, Dr. Gustavo Rocha no Departamento Médico e Cláudia Mota como supervisora.

Veja também

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea