Geral

Taxistas pressionam e vereadores adiam votação da ‘lei Uber’


A definição sobre a liberação ou não dos aplicativos de transporte individual e particular de passageiros em São Paulo foi adiada mais uma vez. Pressionados por cerca de cinco mil taxistas, que ocuparam a frente da Câmara Municipal para protestar contra a chamada ‘Lei Uber’, e temerosos sobre a repercussão de seus votos em ano eleitoral, os vereadores derrubaram o processo de votação, que agora não tem data para ser retomado. Parte dos vereadores defende que o tema só retorne ao plenário em outubro, após as eleições. Com o impasse, a Uber continua funcionando na cidade sem regulação.

Pela proposta em discussão, as empresas que conectam passageiros e motoristas via aplicativos passam a ser obrigadas a obter cadastro para operar na cidade, pagando, por isso, taxas anuais ou mensais. Além disso, caso o projeto vire lei em outra ocasião, os aplicativos terão de comprar créditos para usar o viário urbano.

O modelo proporcionará um melhor controle do viário urbano, segundo a Prefeitura, já que o valor dos créditos vai variar de acordo com o horário e o percurso da viagem, além da quantidade de passageiros no carro. Se a corrida for feita em horário de pico e no centro expandido, por exemplo, o preço ficará mais caro. Já se for na periferia, sairá mais em conta.

Amadurecimento

O vereador Ricardo Young (Rede) afirmou nesta terça que o projeto não pode ser votado na pressa, já que alguns pontos ainda precisam de amadurecimento. Segundo ele, é preciso deixar mais claro, por exemplo, como se dará o cálculo do valor dos créditos e qual a quantidade de veículos que receberão aval para rodar na cidade.


+ Atleta de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid 15 dias após perder o pai pela doença
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



Para Police Neto, o debate deve focar no benefício que o projeto pode trazer à capital do ponto de vista da mobilidade. “A lógica aqui é dar funcionalidade extrema ao carro, com um número grande de viagens em um curto espaço de tempo.” A médio prazo, a intenção é aumentar a utilização da frota da capital – hoje, a média é de 1,4 passageiro por veículo.

Veja também

+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS