Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Os juros futuros mostram volatilidade na manhã desta quarta-feira, 29, oscilando entre alta e baixa em meio ao temor de piora fiscal, de um lado, e com dólar e juros dos Treasuries em queda, do outro. Há pouco as taxas recuavam. Segundo uma fonte, trata-se também de uma correção após a alta de ontem.

O movimento se manteve mesmo após o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) dizer que o estado de emergência ou de calamidade está na PEC dos Combustíveis.

Isso porque o impacto previsto com a PEC, de R$ 38,7 bilhões, está abaixo das estimativas do mercado, que chegavam a R$ 50 bilhões, explicou o sócio-diretor da Wagner Investimentos, José Raymundo Faria Junior.

Mais cedo, foi divulgado que o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) subiu 0,59% em junho, de 0,52% em maio, abaixo da mediana da pesquisa Projeções Broadcast, de avanço de 0,70%.

Às 10h15, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 caía a 12,77%, de 12,82% no ajuste anterior.

O DI para janeiro de 2025 estava em 12,82%, de 12,87%, e o para janeiro de 2024 recuava a 13,52%, de 13,58%. O vencimento para janeiro de 2023 caía a 13,760%, de 13,795% no ajuste de ontem.