Economia

Taxas futuras de juros recuam após ata, mas renovam máximas com pressão do dólar

Os juros futuros começaram a sessão desta terça-feira em queda, após a leitura da ata do Copom não sinalizar um início próximo de aperto monetário, mas, pouco antes das 9h30, as taxas renovavam máximas em meio à alta do dólar ante o real. Às 9h28, o DI para janeiro de 2022 estava na máxima de 2,96%, de 3,00% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2023 marcava máxima de 4,40%, de 4,44%, enquanto o vencimento para janeiro de 2027 exibia máxima de 7,31%, de 7,34% na véspera.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar


Tópicos

taxas de juros