Economia

Taxas curtas e juros médios recuam após Copom e longas têm viés de alta

Os juros futuros curtos e médios recuam na manhã desta quinta-feira, 6, após o Comitê de Política Monetária (Copom) deixar a aberta a porta para um eventual corte da Selic em setembro, embora vários economistas apostem em manutenção da taxa este ano e em níveis baixos por muito tempo. Os longos, por sua vez, têm viés de alta em dia de leilão do Tesouro (11 horas).

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Pouco antes do fechamento deste texto, as taxas renovavam máximas, em meio ao dólar forte ante o real e cautela no exterior.

Às 10h25, o DI para janeiro de 2021 estava em 1,870%, de 1,953% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2022 exibia 2,63%, de 2,77%, enquanto o para janeiro de 2023 marcava taxa de 3,71%, de 3,81% no ajuste anterior. Na ponta longa, o DI para janeiro de 2027 estava em 6,28%, de 6,27% ontem no ajuste.

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

Tópicos

taxas de juros