Tecnologia & Meio ambiente

Tanzânia controla incêndio no Kilimanjaro

Tanzânia controla incêndio no Kilimanjaro

Manada de elefantes em frente ao monte Kilimanjaro, no Quênia, em 3 de novembro de 2016 - AFP/Arquivos

Um incêndio registrado há seis dias nas encostas do Kilimanjaro, a montanha mais alta da África, foi praticamente controlado neste sábado (17), anunciaram as autoridades.

“Basicamente, o fogo está controlado e as atividades turísticas continuam, considerando que não foram afetadas pelo fogo”, disse à AFP Pascal Sheluette, porta-voz da Autoridade de Parques Nacionais da Tanzânia (Tanapa).

“Até agora não estabelecemos nenhum impacto humano do incêndio. Aqueles que planejam escalar a montanha não devem se preocupar, pois as atividades turísticas continuam normalmente”, acrescentou.

O incêndio começou no último domingo e se espalhou por cerca de 95 quilômetros quadrados sem causar mortes na montanha, que se eleva a 5.985 metros acima do nível do mar, revelou a Tanapa.

Localizado no nordeste do país, próximo à fronteira com o Quênia, Kilimanjaro é um destino popular para alpinistas e turistas em geral.

A montanha e a área em torno dela pertencem a um parque nacional e estão na lista do patrimônio mundial da Unesco.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Telefone de jornalista argentino roubado ao vivo em Buenos Aires

+ Mais de 200 escolas do Paraná vão virar colégios cívico-militares

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar