Economia

Suspensão de embarques busca dar “conforto” a autoridades chinesas, diz Aurora

A Cooperativa Central Aurora Alimentos disse nesta terça-feira, 25, em nota, que a decisão de suspender temporariamente os embarques para a China a partir da planta de processamento de aves de Xaxim (SC) visa a “dar conforto às autoridades chinesas”. A empresa reafirma ter “absoluta confiança e da certeza que seu processo produtivo é isento da presença do vírus”, após receber da cidade de Shenzhen a informação sobre a presença do novo coronavírus em embalagem saída da unidade com SIF 601.

“A Aurora Alimentos está convicta de que a transparência, a tradicional cooperação entre as autoridades sanitárias dos dois países e a observância dos preceitos científicos presidirão a análise do fato relatado, de forma que, em breve, sejam retomados os embarques dessa unidade para aquele país”, destacou no comunicado.

A empresa enfatiza que, conforme manifestação da OMS e FAO, não há evidência científica da transmissão do vírus via produto e ou embalagem. “A Aurora implementou esforços contínuos e medidas eficazes para a proteção e cuidados com a saúde dos seus colaboradores, cumprindo protocolos setoriais validados cientificamente pelo Hospital Albert Einstein, os quais são de notório conhecimento da sociedade brasileira como também em atendimento a Portaria Interministerial 19 que regulamenta o assunto”, disse.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel