Mundo

Suprema Corte da Itália condena terrorista neonazista a 12 anos

ROMA, 24 MAR (ANSA) – A Suprema Corte da Itália condenou o terrorista de extrema direita Luca Traini a 12 anos de prisão por uma tentativa de atentado contra seis imigrantes negros ocorrida em fevereiro de 2018.   

A sentença definitiva mantém a condenação imposta em primeira e segunda instância e também determina o ressarcimento das seis vítimas e das partes civis no processo, incluindo a Prefeitura de Macerata, local do ataque.   


Traini, 31 anos, já está preso e foi considerado culpado do crime de “tentativa de massacre com agravante de ódio racial”.   

Em 3 de fevereiro de 2018, o militante neonazista disparou contra seis imigrantes negros reunidos em um bar em Macerata.   

Segundo Traini, o atentado foi uma “vingança” pela morte da jovem Pamela Mastropietro, cujo corpo havia sido encontrado desmembrado dias antes em uma cidade vizinha. Todos os baleados sobreviveram, e nenhum deles tem ligação com o assassinato de Mastropietro, cometido por um traficante nigeriano.   

O neonazista chegou a pedir desculpas pelo atentado e a negar que tenha “ódio racial”. Após o ataque, investigadores encontraram na casa de Traini um exemplar do livro “Minha Luta”, escrito por Adolf Hitler, além de diversos objetos de inspiração fascista. (ANSA).