Esportes

STJD intima Mano Menezes a depor no caso Gerson/Ramirez de injúria racional


O técnico Mano Menezes foi intimado, nesta quarta-feira, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para depor segunda-feira, às 11 horas, no Rio, no inquérito que apura a acusação de Gerson, do Flamengo, a Ramirez, do Bahia, por injúria racial. O camisa 8 do time carioca acusa o colombiano de tê-lo chamado de “negro” em tom pejorativo no duelo entre suas equipes.

Mano era o técnico do Bahia na partida do dia 20 de dezembro, no Maracanã, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, quando ocorreu o incidente. O treinador chegou a discutir com Gerson. A equipe carioca venceu o jogo por 4 a 3.

Além de Mano, foram intimados o árbitro Jose Claudio Rocha Filho, os auxiliares (Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis) e o delegado da partida. Todos eles serão ouvidos presencialmente, como testemunhas.

Além de Gerson e Ramirez, Natan e Bruno Henrique, ambos do Flamengo, também foram intimados e vão comparecer à sede do STJD em 3 de fevereiro – os jogadores do Flamengo às 10h30, e Ramirez, às 14h30.

Acusação e defesa devem enviar todas as provas em vídeos e áudios até a sexta-feira. O auditor vai concluir o inquérito em até 30 dias.


+ Casal posta fotos nus em pontos turísticos e ganha fama na web
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ ‘Raça de víboras’: Andressa Urach critica seguidores que não acreditam em sua fé
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



O CASO – Gerson ficou bastante irritado com o rival em um bate-boca dentro de campo. O Bahia chegou a afastar Ramirez depois da acusação, mas após a instalação de uma sindicância própria não flagrar o insulto, o reintegrou. O meia já voltou a atuar, fez gols e diz que o caso “faz parte do passado” e evita declarações. Mas terá de se explicar ao tribunal.

O artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) fala em punir o atleta que: “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. A pena prevista é suspensão de 5 a 10 partidas e multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS