O Sport se posicionou oficialmente sobre a polêmica envolvendo torcedoras que acessaram a Ilha do Retiro de sutiã, neste sábado, para assistir ao jogo contra o Botafogo-PB pela Série B do Brasileirão. Algumas apoiadoras do clube foram barradas de entrar no estádio com a camisa da Torcida Organizada do Sport. O time pernambucano confirmou a informação, no entanto, alegou que o grupo de mulheres recusou vestir blusas pretas oferecidas pelo Rubro-Negro.

O jogo contava apenas com mulheres, crianças e pessoas com deficiência na torcida, como parte de uma punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por causa da invasão de campo contra o Vasco, no dia 16 de outubro de 2022. De acordo com o Sport, o grupo foi barrado de acessar a Ilha do Retiro com as camisas neste sábado, pois eram justamente da torcida organizada responsável pela atitude que rendeu essa penalização e que está proibida de acessar o estádio desde 2015.

Em um vídeo divulgado pela Rede Globo, é possível ver a indignação dos torcedores do Sport com a atitude. Um homem que filma a cena reclama da ação das autoridades que barraram a vestimenta na entrada do estádio.

– Isso é uma humilhação para as meninas, isso não existe. […] Voltou a ditadura, é? Isso existe? – diz o homem que não foi identificado.

– Estamos tendo que entrar sem camisa, isso é uma opressão. A gente é a entidade que mais dá dinheiro aqui nesse clube – disse uma mulher.

– Toda vez é essa palhaçada – diz outra torcedora.

Através do posicionamento oficial, o Sport também agradeceu aos torcedores que compareceram ao jogo contra o Botafogo-PB, vencido pelo Leão por 3 a 0, com gols três gols de Vágner Love.

Veja a nota do Sport na íntegra abaixo.

O Sport Club do Recife agradece pela presença maciça e apoio incondicional das mulheres, crianças e Pessoas com Deficiências (PCDs), fundamentais para a vitória deste sábado (20) na Ilha do Retiro. O Clube não esperava absolutamente nada diferente, mas constatar a história sendo escrita foi algo único e emocionante. Sem dúvidas, a data de hoje tornou-se um marco para todos nós.

Ainda sobre este dia, o Clube aproveita para abordar e esclarecer alguns pontos. Em relação às torcedoras que ficaram de sutiã na sede do Clube, o STJD não permitiu a entrada de camisas em alusão à torcida organizada responsável por acarretar a punição ao Sport de R$ 150 mil e seis jogos restritivos. Além disso, frise-se, os grupos estão proibidos de acessarem os estádios desde 2015.

Paralelamente a isso, o Clube ofereceu camisas de cor preta pra que as torcedoras pudessem entrar na sede com a vestimenta. Elas, contudo, não aceitaram.

Sobre a presença das charangas, o Sport informa que protocolou o ofício dentro do prazo previsto pelo Governo de Pernambuco e pela Polícia Militar (PM), como de praxe.

O Clube, no entanto, não obteve resposta dos respectivos órgãos, o que tira este processo da alçada do Sport, uma vez que foi cumprida a obrigação institucional.

Por fim, o Clube lamenta os ocorridos e assume o compromisso perante a torcida de providenciar um melhor espetáculo e experiência não apenas para os dois próximos jogos em que vigora a determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), mas para qualquer partida na Ilha do Retiro, à altura do que foi presenciado neste 20 de maio de 2023.”