Geral

SP só vai reduzir intervalo da vacina se receber mais doses, diz secretário


Para atender a orientação do Ministério da Saúde e reduzir o intervalo entre as doses da vacina contra a covid-19, o Estado de São Paulo precisa ter mais imunizantes em estoque, disse o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 15. Gorinchteyn afirmou que no momento não há vacinas suficientes para diminuir o tempo entre as aplicações de 12 para oito semanas e aguarda novas remessas.

Desde a última semana, o estoque da vacina da AstraZeneca está muito baixo no Estado. Para evitar prejuízos à imunização, São Paulo está aplicando uma segunda dose de Pfizer em quem recebeu a primeira de AstraZeneca. Segundo Regiane de Paula, coordenadora do Programa Estadual de Imunizações (PEI), um novo lote de AstraZeneca chegou a São Paulo nesta quarta para completar a imunização de pessoas entre 50 e 59 anos. Regiane disse que espera receber todas as segundas doses necessárias até o início da próxima semana.

Até o momento, 80% da população de São Paulo já recebeu ao menos uma dose da vacina contra a covid-19 e 47% está com a imunização completa. Entre os adultos, a adesão foi massiva: 97,4% dos adultos tomaram a primeira dose e 62% já receberam as duas. De acordo com o Estado, 100% das pessoas com 65 anos ou mais já estão totalmente vacinadas contra a covid-19.

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, citou dados do Ministério da Saúde para ilustrar a eficácia das vacinas. Segundo Covas, o número de mortes entre pessoas com 70 anos ou mais caiu 88% no Brasil entre março e agosto deste ano. “A maior parte dos idosos nessa faixa etária tomou Coronavac”, disse. A vacina é fabricada pelo instituto que ele comanda.

Covas disse ainda que o Butantan entregou mais 5,1 milhões de doses da Coronavac ao Ministério da Saúde nesta quarta. Com o novo lote, o instituto conclui a distribuição das 100 milhões de doses compradas pelo governo federal. Parte dessas doses foi suspensa pela Anvisa por problemas com a fábrica chinesa onde o imunizante foi feito. O Butantan se comprometeu a substituir esses imunizantes por doses fabricadas em um laboratório da farmacêutica chinesa Sinovac já inspecionado pela agência reguladora.

Ainda sobre a Coronavac, Dimas Covas disse esperar que o uso da Coronavac seja ampliado para públicos mais jovens. “Crianças estão sendo vacinadas no Chile, na África do Sul e na Indonésia. Em breve, esperamos vacinar crianças aqui também”, afirmou.

Números em queda

Gorinchteyn apresentou os dados de casos, óbitos e internações por covid-19. O secretário afirmou que houve uma queda de 70,5% no número de casos no Estado em relação à semana anterior. Este número pode não refletir a realidade porque São Paulo enfrenta dificuldades para incluir novos casos de covid-19 na plataforma do SUS.

O número de internados permaneceu praticamente estável, passando de 639 na semana anterior para 641 nesta semana. Já o número de mortes, que também pode estar enviesado em razão dos problemas na plataforma do SUS, caiu 35% entre a semana passada e esta semana.

Até o momento, São Paulo já registrou 4.302.511 casos de covid-19 e 147.641 mortes em decorrência da doença. A ocupação dos leitos de UTI é de 32,86% no Estado e 38,65% na região metropolitana.

Veja também
+Deolane Bezerra, viúva de MC Kevin, revela que fez cirurgia na vagina
+ Vídeos mostram pessoas preparando saladas com Cheetos no TikTok
+ Mulher e filho de Schumacher falam sobre saúde do ex-piloto
+ Carvão “gourmet” que não suja as mãos vira meme nas rede sociais; ouça
+ Mãe encontra filho de 2 anos morto com bilhete ao lado ao chegar em casa
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago