Geral

SP: Quatro agentes são alvos de ataques em 48h; polícia investiga elo com PCC

Crédito: Reprodução

Ronaldo Soares dos Santos foi baleado após atender a campainha de casa e não resistiu aos ferimentos (Crédito: Reprodução)

A Polícia Civil investiga ataques contra quatro agentes de segurança pública em menos de 48 horas em cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo. Os investigadores apuram ainda se os crimes seriam ações coordenadas pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). As informações são do Uol.

No sábado (25), dois policiais penais do CDP (Centro de Detenção Provisória) de São Vicente foram alvo de tiros. Um dos agentes, que voltava para casa quando foi baleado, passou por cirurgia e está internado. Já Ronaldo Soares dos Santos, de 49 anos, que foi baleado após atender a campainha de casa, não resistiu aos ferimentos.


Ainda no dia de Natal, um policial militar escapou de um ataque após trocar tiros com os suspeitos em Peruíbe.

Na madrugada de domingo (26), um ex-policial militar de 33 anos foi morto a tiros de fuzil em Guarujá, por suspeitos que estavam dentro de um veículo. Um outro homem de 37 anos, que estava com o ex-PM, ficou ferido.

Sindicato acende alerta

Em nota ao Uol, o Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp) levantou a hipótese de relação entre os crimes. “Áudios que circularam pelas mídias sociais davam conta de uma possível organização por parte de criminosos para matar policiais”, disse um dos trechos do texto publicado pela entidade.

“O sindicato acende um alerta para que todos os servidores penitenciários da região fiquem atentos em sua rotina a fim de evitar novos atentados”, diz o Sifuspesp. O sindicato cobra ainda uma postura efetiva da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) para identificar a origem desses crimes.

Também em nota ao Uol, a SAP lamentou o episódio. “A SAP oferece suporte às forças de segurança para identificação e prisão dos autores dos crimes e presta solidariedade às famílias dos agentes, dando todo o apoio necessário”, diz trecho do comunicado.