Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A polícia de São Paulo prendeu no domingo (6) um homem, de 23 anos, suspeito de matar a companheira Juliana Ferraz do Nascimento, também de 23 anos, em Jundiaí (SP). De acordo com as autoridades, Rogério Botelho disse aos agentes que a vítima teria sido encontrada no banheiro da casa deles já morta. As informações são do G1.

Segundo o homem, ele e a mulher haviam ido a uma chácara comemorar o aniversário da bisavó. No evento, eles teriam consumido bebidas alcoólicas e drogas. O homem afirmou ainda que quando chegaram em casa, ele comeu alguma coisa e foi dormir, enquanto Juliana tomava banho.

Ainda conforme o relato de Rogério, ele acordou de madrugada e viu que saía água por baixo da porta do banheiro. Ao tentar abrir, percebeu que a porta estava trancada e que Juliana não respondia. Em seguida, Rogério ligou para o irmão da vítima que foi até o imóvel e o ajudou a arrombar a porta. O socorro foi acionado, mas a vítima já estava morta.

No entanto, a autópsia realizada no corpo da jovem no Instituto Médico Legal (IML) identificou diversas lesões e também sinais de estrangulamento. O resultado dos exames não era compatível com a versão apresentada pelo homem e, por isso, a polícia determinou a prisão em flagrante dele.

Ele foi encontrado no velório e abordado enquanto assinava os documentos de óbito de Juliana. A polícia autuou Rogério por feminicídio e fraude processual. As investigações agora devem apurar se a jovem já sofria violência doméstica. O corpo dela foi enterrado na segunda-feira (7).