Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O empresário Bruno Piva Júnior, de 52 anos, que morreu após ser baleado em dezembro do ano passado pela esposa, a tenente dentista do Exército Karina de Freitas Fogolin, de 41, teria conhecido a companheira pela internet e estava casado com ela desde julho de 2021.

Um amigo do empresário, ouvido pelo G1, contou que Bruno e Karina se conheceram pela web, namoraram por dois meses e logo em seguida já se casaram, em julho de 2021. “A filha dele está muito abalada, ele era uma pessoa muito querida por muita gente”, afirmou.

Bruno foi baleado no início de dezembro do ano passado e morreu no último dia 25, após cerca de 50 dias internado. Em depoimento, Karina relatou que era agredida pelo marido, e que ele desviou dinheiro dela.

No entanto, o amigo de Bruno afirma que o empresário sempre teve boas condições financeiras, e não precisaria do dinheiro da esposa. “Por isso, a gente acredita que ele não iria desviar dinheiro dela. Ele sempre teve dinheiro”, contou ao G1.

A Polícia Civil segue investigando o caso.

Relembre o caso

Câmeras de segurança flagraram o momento em que a tenente dentista do Exército atirou contra o marido. Nas imagens, o casal é visto discutindo dentro do carro. Fora do veículo, Karina conversa com Bruno em uma calçada e atira nele quando ele se vira. Na sequência, o homem cai. O crime ocorreu em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

A tenente chegou a ser presa em flagrante após atirar contra ele. Ao ser questionada pela polícia, a mulher disse que houve uma tentativa de roubo e que não possuía arma. Segundo ela, o autor dos disparos teria fugido da residência.

Porém, durante as buscas em sua casa, a polícia encontrou uma pistola embaixo de um veículo estacionado na garagem. Confrontada, ela admitiu o crime e disse que seu companheiro possuía uma arma longa e munição para outra escola.