Geral

Sorocaba, em SP, registra primeiro importado caso de febre amarela silvestre

O primeiro caso de febre amarela silvestre deste ano em Sorocaba, no interior de São Paulo, foi confirmado nesta terça-feira, 29, pela Vigilância Epidemiológica do município. De acordo com o órgão, o caso é importado, pois o paciente, um morador do Jardim Carandá, na zona norte, contraiu a doença em viagem à área rural de Cajati, no Vale do Ribeira, região sul do Estado.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, foi confirmada a circulação do vírus, este ano, em cinco municípios daquela região que tiveram registro da doença em humanos.

O paciente apresentou os sintomas na primeira quinzena de janeiro, foi medicado e passa bem. Desde que houve a suspeita, foram realizadas ações de controle nas proximidades da residência do homem infectado.

A prefeitura informou que foram reforçadas as ações para evitar o registro de casos urbanos da doença. “A indicação para todas as regiões da cidade continua sendo reforçar a atenção contra o mosquito Aedes aegypti, que pode causar a transmissão urbana da febre amarela”, disse, em nota.

Este ano, até o dia 21 de janeiro, foram notificados 32 casos suspeitos de febre amarela em São Paulo, dos quais nove foram autóctones – com contaminação no próprio Estado. Destes, seis evoluíram para óbito, todos na região do Vale do Ribeira.

Foram quatro mortes confirmadas em Eldorado, uma em Iporanga e a outra em Jacupiranga. Além de Cajati, houve um caso confirmado em Cananeia.