Economia

Softbank Group salva empresa de coworking WeWork

Softbank Group salva empresa de coworking WeWork

SoftBank, que atualmente possui 29% do capital da WeWork, subirá a 80% - Getty/AFP/Arquivos

Considerada até recentemente uma das estrelas da economia colaborativa, a empresa de trabalho compartilhado, ou coworking, WeWork, teve de aceitar ser salva por seu acionista japonês SoftBank Group.

O SoftBank Group anunciou nesta quarta-feira uma injeção adicional de US$ 5 bilhões na WeWork e uma oferta pública de aquisição (OPA) das ações que ainda não possui, por até US$ 3 bilhões.

O pagamento do SoftBank Group à WeWork com um vencimento de títulos de US$ 1,5 bilhão também será antecipado, disse a empresa.

O SoftBank, que atualmente possui 29% do capital da WeWork, aumentará para 80%, mas “não controlará a maioria dos direitos de voto nas reuniões do conselho administrativo”. Ele não especifica como esses direitos serão distribuídos, ou o motivo da sua renúncia.

“A WeWork será uma parceira do SoftBank”, afirmou a instituição, em um comunicado.

O plano da SoftBank, de propriedade do bilionário japonês Masayoshi Son, envolve a saída final do ex-CEO Adam Neumann, cuja administração controversa se tornou um obstáculo para encontrar potenciais investidores.

“O SoftBank está firmemente convencido de que o mundo do trabalho está mudando radicalmente. A WeWork está na vanguarda desta revolução. Não é incomum que os principais pioneiros mundiais em tecnologia enfrentem problemas de crescimento semelhantes aos que a WeWork acabou de enfrentar”, disse o fundador e presidente do SoftBank Group, Masayoshi Son, citado no mesmo comunicado.