Geral

Sociedade de Pediatria no Rio mostra preocupação com atendimento

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou hoje (27) uma nota à imprensa em que mostra preocupação em relação à assistência oferecida a crianças e a adolescentes no país. A nota foi motivada pela morte da bebê Emiliy Vitória, de três meses, ocorrida há dois dias no Rio de Janeiro.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

Segundo a SBP, a bebê chegou com um quadro de bronquiolite no Hospital Municipal Salgado Filho, no Rio, e foi internada em um quarto que tinha paredes mofadas. Para a Sociedade, a instalação precária pode ter piorado seu quadro de saúde. Houve uma demora na transferência da criança, que só foi obtida com autorização judicial, e a bebê morreu.

Na nota, a SBP pede providências de todos os gestores públicos do Sistema Único de Saúde (SUS) para acabar com o que ela chamou de “sucateamento da rede pública”. Para a Sociedade, esse sucateamento tem dificultado o acesso ao atendimento e impedido o exercício pleno da medicina pelos profissionais.

“O Brasil precisa urgentemente de mais investimentos e de melhor gestão nos serviços do SUS para que tragédias evitáveis, como essa, não voltem a se repetir. Vidas estão sendo perdidas em consequência de medidas equivocadas dos diferentes níveis de Governo, que têm pecado pela omissão”, diz a nota.

Veja também

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea