Saúde da mulher

Síndrome do Túnel do Carpo: como identificar e tratar a condição

Crédito: Freepik

Você se atenta aos sinais de saúde que suas mãos te dão? Dor e formigamento nos dedos podem representar Síndrome do Túnel do Carpo, uma condição que, muitas vezes, torna seus portadores incapazes de realizar até as mais simples tarefas do dia a dia.

+ Osteoporose: causas, diagnóstico e tratamentos

+ Quais tratamentos estarão no futuro do combate ao Parkinson?

Segundo o portal PEBMED, a síndrome tem uma prevalência global de 8%, sendo mais comum em mulheres a partir dos 50 anos. Entenda suas causas, sintomas, diagnóstico e tratamentos a seguir.

O que é a Síndrome do Túnel do Carpo?

Para entender a condição, o médico especialista em mãos Renan Lyuji Takemura detalha a anatomia afetada: “Dentro do punho, temos um canal tubular por onde passam tendões, que conectam os músculos do antebraço aos ossos da mão e ao nervo mediano — responsável pela sensibilidade do polegar, dedo indicador, dedo médio e metade do dedo anelar.”

Cleveland Clinic/Dr. Renan Lyuji Takemura

“A Síndrome do Túnel do Carpo acontece quando há uma compressão prolongada do nervo mediano dentro do túnel do carpo. Isso gera alterações na circulação sanguínea do local e faz com que o nervo não funcione corretamente, ocasionando os sintomas da doença”, continua.

Causas

O especialista explica que pode ser difícil encontrar uma causa específica para a condição. “O que normalmente acontece é um somatório de fatores que se acumulam, aumentando a chance de desenvolver a doença”, relata. 

Fatores como diabetes, obesidade, hipertireoidismo e gravidez podem aumentar o tamanho do nervo e dos tendões do túnel do carpo; e questões como tabagismo e envelhecimento contribuem para a diminuição da microcirculação de sangue do nervo — tudo o que pode ocasionar o surgimento da doença. 

Sintomas

Segundo Renan, o principal sintoma da síndrome é a dor e formigamento na polpa dos dedos, especialmente nos dedos indicador, médio e polegar. É normal que aconteça durante a madrugada, acordando o paciente, e cesse após o chacoalhar das mãos. 

Entretanto, isso também pode acontecer durante o dia, principalmente após acordar ou durante a prática de atividades que exigem que as mãos estejam fechadas, como dirigir, cozinhar ou digitar em teclados.

Outros sintomas incluem:

• Sensação de mão inchada;

• Perda de força nas mãos, que pode fazer com que o paciente derrube objetos;

• Alteração na sensibilidade da ponta dos dedos;

• Perda de coordenação nas mãos;

• Alteração na coloração dos dedos. 

Movimentos repetitivos de grande amplitude de movimento do punho — como sovar massas — e que envolvam força com a mão fechada — como dirigir, parafusar e cortar alimentos — podem desencadear os sintomas em quem tem a doença. 

Diagnóstico

A princípio, o diagnóstico da Síndrome do Túnel do Carpo é feito de maneira clínica, em consultório, podendo ser seguido por exames. 

A ultrassonografia do punho é o primeiro exame citado pelo médico para complementar o diagnóstico clínico. Indolor, ela procura por um aumento no diâmetro do nervo. Em casos iniciais, entretanto, esse exame pode ser ineficiente.

Já a eletroneuromiografia de membros superiores, segunda indicação do especialista, é dolorosa e envolve a introdução de agulhas nos membros superiores, pelas quais um choque é dado para avaliação do funcionamento do nervo.

Renan ressalta que esses exames são complementares e seus resultados podem ser inconclusivos, o que torna o acompanhamento médico indispensável.

Tratamento

De acordo com o médico, o tratamento da Síndrome do Túnel do Carpo pode ser feito com ou sem cirurgia, dependendo do estágio da doença. 

“O que determina qual caminho seguiremos inicialmente é a presença ou não dos seguintes sinais de gravidade: alteração permanente da sensibilidade dos dedos e perda da coordenação do polegar, com dificuldade de realização do movimento de pinça”, detalha. 

Quando não houver sinal de gravidade, não há necessidade de cirurgia. O tratamento inicial pode durar até seis semanas e é feito com medicamentos, imobilização do punho durante o sono e sessões de terapia de reabilitação das mãos. Caso não haja sinais de melhora após o período, a cirurgia é indicada.

Nos casos em que os sintomas de gravidade estão presentes, a cirurgia é indicada para realização imediata. No entanto, o especialista ressalta que seu objetivo é evitar a progressão da doença, com as chances de recuperação completa sendo muito baixas. 

“É muito importante que os pacientes procurem a ajuda de um especialista de mão assim que tiverem os sintomas da doença. A Síndrome do Túnel do Carpo normalmente demora muitos anos para evoluir para os estágios mais graves, e quanto mais precocemente iniciamos tratamento, melhores são as chances de recuperação completa”, finaliza.