Agronegócio

Sindag: País tem a segunda maior frota de aviação agrícola, atrás apenas dos EUA

São Paulo, 19 – O Brasil tem a segunda maior frota de aviões e helicópteros voltados à atividade agrícola, atrás somente dos Estados Unidos, mostra estudo do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag). Em 2017, eram registradas 2.115 aeronaves, 2.108 delas aviões, segundo o levantamento realizado pelo consultor Eduardo Cordeiro de Araújo com base em informações do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O número representa alta de 1,5% na comparação com 2016 e de 46,2% nos últimos dez anos. A maior frota pertence aos Estados Unidos, 3,6 mil aeronaves. O México ocupa o terceiro lugar no ranking global, com 2 mil aviões e helicópteros, e a Argentina, a quarta posição, com 1,2 mil aeronaves.

De acordo com o estudo, Mato Grosso tem a maior quantidade de aviões e helicópteros registrados, 464, seguido do Rio Grande do Sul, com 427, e de São Paulo, com 312. O maior crescimento da frota no ano passado foi verificado em Minas Gerais. Em 2016, eram 71 veículos e, em 2017, 82, incremento de 15,5%.

O setor agrícola utiliza aeronaves para distribuir sementes e aplicar defensivos e fertilizantes nas lavouras. No Brasil, há 244 empresas de aviação agrícola que detêm quase 68% da frota nacional ou 1.435 aeronaves, de acordo com o levantamento.

Outros 659 aviões estão sob controle de 565 operadores privados – agricultores e cooperativas que possuem seus próprios veículos. Os 21 aviões restantes pertencem ao governo federal, a administrações estaduais ou ao Distrito Federal. Quase 60% da frota foi fabricada pela brasileira Embraer.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Hamilton bateu de novo em Albon; veja memes da F1
+ Pandemia adia cirurgia e saúde de Schumacher piora
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior