Edição nº2539 17/08 Ver edições anteriores

Silêncio seletivo

Carl de Souza

Candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro não apresentou recentemente na Câmara uma só emenda parlamentar destinada às áreas da saúde, educação ou melhoria da segurança pública, assuntos prioritários na corrida ao Planalto. Todas as suas indicações para 2019 – por sinal, rejeitadas – beneficiariam a área da Defesa ou os militares das Forças Armadas, como a criação de um auxílio-moradia no Exterior para o Exército. E olha que, só nesse ano, Michel Temer liberou R$ 9,6 bilhões para atender aos pedidos do Congresso.

Delação premiada
Voltou à berlinda

Absolvido no caso da compra do silêncio de Nestor Cerveró, o banqueiro André Esteves se torna alvo de um novo inquérito, agora com base na delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci. A investigação apura fraudes envolvendo a Petrobras e a Sete Brasil, empresa da qual o BTG Pactual é sócio e está em recuperação judicial. Foi criada em 2010, na euforia do governo para viabilizar a construção de sondas para o pré-sal no País.

Saúde Global
Chegou lá

Outro brasileiro acaba de ser nomeado para um cargo de destaque no exterior. O epidemiologista Jarbas Barbosa, ex-presidente da Anvisa, como subdiretor supervisionará todos os programas de cooperação técnica da Organização Pan-Americana de Saúde para os 35 países-membros da entidade, nos próximos anos.

M PF
Velha queixa

Com 134 itens, a pauta da próxima reunião do Conselho Nacional do Ministério Público é uma das maiores dos últimos tempos. Um dos assuntos tem ar de repeteco. Ou seja, uma representação da defesa de Lula contra procuradores da República que atuam na Força-Tarefa da Lava Jato no Paraná. Aliás, em abril passado, por unanimidade, o colegiado rechaçou tal intento. Também a Corregedoria-Geral do Ministério Público não acolheu pedido dos advogados do ex-presidente na mesma linha. Nos órgãos de controle do MPF prevaleceu a tese de que os procuradores da República atuam os parâmetros do cargo.

Legislação eleitoral
Cada um na sua

Qualquer real dos 30% do fundo eleitoral e partidário para candidaturas femininas que for parar na campanha dos homens será impugnado na prestação de contas na Justiça Eleitoral. O alerta foi dado na semana passada pelo TSE, ao regulamentar o uso dessa verba. O tribunal deixou claro, no entanto, que não proíbe candidatos e candidatas de fazerem campanha juntos. É até democrático. Porém, cada um pagando a parte que lhe cabe na fatura… como muitos casais fazem, depois de jantar num restaurante.

Indústria
Sem crise

Fred Chalub/Folhapress

Foi de dois dígitos (10%) o crescimento das vendas de medicamentos no primeiro semestre desse ano no País, comparado à igual período de 2017. As empresas faturaram R$ 30,1 bilhões. Em volume, uma alta de 6,3%. Líder, o descongestionante nasal Neosoro (Neoquímica) teve 24,4 milhões de unidades consumidas. Segundo ainda a consultoria IQVIA, que audita os negócios do setor, os genéricos cresceram 10%, de janeiro a junho. Com vendas de R$ 4,1 bilhões, agora representam 1/3 do mercado.

Governo federal
Milagre econômico?

Vinculado ao Ministério do Planejamento, o Comprasnet parece gerenciado por zelosas donas de casa. No portal, a disputa para fornecer 363 itens alimentícios ao Comando do Exército surpreende com ofertas cerca de 300% abaixo do valor de referência. Para o concentrado de cajá, por exemplo, o preço padrão era R$ 8,36 o kg. A MAM Ribeiro Comércio de Alimentos vai vender por R$ 2,01. Em indústrias de sucos, igual volume custa uns R$ 7,00. Já o concentrado de uva foi cotado a R$ 2,21 (kg). A Proativa levou o pregão por R$ 1,63. Nas fábricas, igual quantidade custa cerca de R$ 8,00. Quem navega no portal desconfia que a inflação e custos Brasil não existem.

Trabalho
Oi! Muito prazer!!

Novo ministro do Trabalho, Caio Mello convidou todos os presidentes de centrais sindicais para um encontro
na terça-feira 7, em Brasília. Quer conhecer os dirigentes das entidades e se apresentar. Os dois lados estiveram
na semana passada, em Johanesburgo, na 10ª Cimeira do Grupo dos Brics, mas cada um tratando de questões próprias. Aliás, uma curiosidade. Enquanto o Brasil teve quatro ministros da Pasta nos últimos quatro anos nessas reuniões, a ministra anfitriã da África do Sul foi sempre a mesma: Mildrea Oliphant.

Lava Jato
Novo foco

Com autorização da Justiça, a Polícia Federal pediu ajuda aos EUA para decifrar arquivos apreendidos na sede da Construtora Delta, no Rio de Janeiro, em outubro de 2013. Comenta-se que uma nova operação está por acontecer na cidade. Membros do Judiciário fluminense podem ser um dos alvos das operações. O HD recolhido teria dissecado pistas sobre o destino de R$ 360 milhões desviados de obras públicas pela Delta, de 2007 a 2012.

STF
Muita oratória

Divulgação

Na segunda-feira 6 terminam as audiências públicas para instruir o processo ajuizado pelo PSOL, que propõe a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação. A ministra Rosa Weber deve produzir robusto relatório. No STF usaram a palavra 44 expositores – 20m para cada argumentação. Diversas entidades entraram como “amicus curiae” na causa, entre elas o Instituto dos Advogados Brasileiros.

Desconfiança com as teles

Shutterstock

Feita em nove países para avaliar os novos consumidores latino-americanos em setores chaves da economia, uma pesquisa revelou que os brasileiros têm menos confiança nas empresas de telecomunicações. Os entrevistados pela consultoria Llorente & Cuenca apontaram três aspectos que consideram mais importantes ligados ao produto e serviço: a não insistência em vender, a atenção do pessoal especializado e a boa garantia. Eis um tripé para as empresas da área mudarem a imagem.

Antidoping
No comando

D-Keine

A advogada da União Tatiana Mesquita Nunes foi eleita para o comando do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem, que julga atletas flagrados em exames antidopings. substituirá Luciano Hotkins, que assumiu a chefia do Departamento Jurídico do COB.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.