Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A internet está repleta de informações e teorias sobre sexualidade. E enquanto cada pessoa tem seu próprio conceito, o que exatamente significa essa palavra? É possível que mulheres e homens tenham uma percepção diferente de sexualidade?

+ Lista de desejos de brinquedos eróticos pode beneficiar sua vida sexual

+ Excesso de lubrificação natural pode atrapalhar o sexo?

Com informações do “Healthline”, confira tudo o que você precisa saber sobre o real significado da palavra — e o que ela representa.

O que é sexualidade?

‘Sexualidade’ é um termo amplo que nomeia como pessoas entendem seus corpos, sexo e relacionamentos. Isso significa que, apesar do equívoco comum, é muito mais do que ser “gay” ou “hétero”. Sua orientação sexual é apenas uma faceta de sua sexualidade. Outros componentes dela incluem:

• Sexo atribuído no nascimento e o gênero com o qual você foi socializada;

Identidade de gênero;

• Orientação sexual e romântica;

• Valores e crenças em torno do sexo, bem como aqueles que você foi criada para ter;

Libido, interesse em sexo e sinais fisiológicos e físicos de desejo e excitação;

• Fetiches e preferências sexuais;

• Relação com seu corpo, sexo e prazer;

• Histórico de traumas;

• Experiências sexuais passadas.

Sexo e gênero

Ao serem questionadas as diferenças entre mulheres e homens acerca da sexualidade, a cisgeneridade geralmente é levada em consideração. Pessoas cisgênero são aquelas cujo sexo atribuído no nascimento corresponde à sua identidade de gênero.

Quando o sexo atribuído a uma pessoa no nascimento não está alinhado com seu gênero, entretanto, ela pode ser considerada transgênero, não-binária, agênero ou outros.

As pesquisas

A maioria dos estudos sobre sexualidade considera apenas a cisgeneridade em seus resultados. Dessa forma, um estudo publicado pelo Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, mostrou que homens cisgênero, ao serem comparados com mulheres cisgênero:

• Mostram maior interesse em sexo;

• Vinculam agressão à sexualidade em maior grau;

• Colocam menos ênfase no compromisso em seus relacionamentos sexuais;

• Experimentam mais estagnação e menos adaptabilidade em sua orientação sexual.

No entanto, isso não significa que essas observações são inatas aos homens cisgênero. De acordo com a sexóloga clínica Sarah Melancon, a educação e a cultura “desempenham um papel enorme”.

“Homens e mulheres são socializados de maneira diferente e enfrentam diferentes expectativas culturais em relação ao sexo”, diz ela, acrescentando que isso pode afetar quando, como, com que frequência e com quem fazem sexo.

Como anatomia e gênero impactam a sexualidade

“Se você nasceu com um pênis ou uma vulva, sem dúvida, isso influenciará até certo ponto como o sexo se parece”, afirma o psicólogo e pesquisador Justin Lehmiller. Isso porque a mecânica de como você faz sexo, bem o modo como você atinge o orgasmo, será diferente.

“Sabemos, por exemplo, que pessoas nascidas com vulvas são mais propensas a ter orgasmos múltiplos, em comparação com pessoas com pênis”, diz Justin. Dito isso, “ainda há muitas semelhanças em como as pessoas de todos os sexos biológicos experimentam sua sexualidade”, observa Sarah.

De modo geral, pessoas que foram socializadas como mulheres são ensinadas a serem muito mais “avessas” ao sexo em comparação com as pessoas criadas como homens.

Embora cultura, religião e sociedade específicas ditem as mensagens exatas que cada pessoa recebe, normalmente os meninos são ensinados que a masturbação é normal e que fazer sexo com o maior número possível de pessoas aumenta sua moral. Enquanto isso, meninas são frequentemente ensinadas que se masturbar é sujo e que o sexo deve esperar até o casamento.

+ Pesquisadores defendem tratamento médico com ‘sex toys’; entenda

“Culturalmente, a masculinidade é, em parte, construída no incentivo à sexualidade livre, enquanto a feminilidade é centrada em negá-la ou controlá-la”, diz Sarah. E embora isso pareça positivo para os homens, também pode ter consequências negativas.

“Isso resulta em homens sendo envergonhados por terem menos parceiros ou experiências sexuais, encoraja os homens a assumir mais riscos sexuais e nega as necessidades emocionais dos homens em relacionamentos íntimos”, continua.

Sexualidade entre os gêneros

Pessoas de todos os gêneros se masturbam

Apesar de essa atividade ser frequentemente vista como algo “para meninos”, a masturbação é algo apropriado para todos os gêneros explorarem sua sexualidade, experimentarem o orgasmo e descobrirem o prazer.

O gênero não determina se alguém gosta de sexo

Muitas pessoas são ensinadas que “mulheres não gostam de sexo”. E enquanto algumas mulheres realmente se encaixam nessa ideia, dizer que todas elas não gostam de sexo é errado.

Nesse sentido, pessoas de todos os gêneros podem vivenciar o prazer durante o sexo. “O prazer das mulheres é um tópico que há muito tem sido negligenciado culturalmente, assim como na educação sexual”, diz Justin. “O resultado é que o prazer feminino tem sido menos prioritário durante o sexo.”

Todos os gêneros podem experimentar disfunção sexual

+ Não consegue ter um orgasmo? Sua mente pode estar te sabotando

Existem semelhanças e diferenças nas dificuldades sexuais entre os gêneros. No entanto, enquanto pessoas com pênis relatam fatores como orgasmo prematuro e dificuldade erétil. Já pessoas com vagina podem sofrer com dificuldades em orgasmo, secura vaginal e baixo prazer sexual.