Cultura

Série iluminada

Quarenta anos depois do filme “O Iluminado”, de Stanley Kubrick, a história inspirada no livro de Stephen King se tornará uma produção da HBO Max

Crédito: Divulgação

ASSUSTADOR Overlook: junto com Danny Torrance e as gêmeas, o hotel é um personagem do filme (Crédito: Divulgação)

O fantasma de Jack Torrance pelo jeito vai continuar nos assustando por um bom tempo. Quarenta anos depois do lançamento de “O Iluminado”, clássico do terror estrelado por Jack Nicholson e dirigido por Stanley Kubrick, a HBO confirmou a produção da série “Overlook”, inspirada no livro de Stephen King. Com produção de J.J. Abrams, responsável pelo recente desfecho da trilogia de “Guerra nas Estrelas”, a série será uma prequel, ou seja, vai abordar o período anterior ao mostrado no filme. O roteiro deve ficar a cargo de Dustin Thomason e Scott Brown, dupla que já adaptou outra série de Stephen King, “Castle Rock”, para a plataforma de streaming Hulu. “Overlook” vai manter personagens icônicos da trama, como a família Torrance e o chef de cozinha do hotel, Dick Hallorann.

Diversas produções foram baseadas na história de Stephen King desde o lançamento do livro “O Iluminado”, em 1977. A mais famosa é o filme de Stanley Kubrick, lançado em maio de 1980, mas não é a única: em 1997, Stephen King produziu uma minissérie para a TV que seguiu à risca a história do livro, coisa que Kubrick não havia feito e que foi motivo de divergência entre os dois.

DOUTOR SONO

Em 2019, a história rendeu mais um fruto: estrelado por Ewan McGregor e dirigido por Mike Flanagan, o filme “Doutor Sono” se passava trinta anos depois do original. Também baseado em um livro de Stephen King, a produção foi bem recebida pela crítica, mas não rendeu uma boa bilheteria.

Isso prejudicou o projeto do filme “Overlook”, que estava em pré-produção e seria dirigido por Mark Romanek. Após o cancelamento, J.J. Abrams comprou os direitos da história e apresentou a ideia para a HBO em formato de série, que a aprovou. Ela estará disponível na plataforma HBO Max, lançada nos EUA na quinta-feira (27) para competir com Netflix, Amazon Prime Video e Disney+. No Brasil, o HBO Max só deve chegar em novembro.

O nome “Overlook” vem do local onde a história de Stephen King é ambientada. Imponente e cravado em uma montanha de neve, o hotel é praticamente um personagem, uma vez que é para lá que a família Torrance se muda e onde toda a ação acontece. A trama conta a história de Jack, um candidato a escritor que aceita o convite para ser zelador do hotel durante o inverno, período em que ele estará fechado. Ele pretende usar o isolamento para escrever, mas acaba enlouquecendo em meio à solidão.

O filme de Kubrick é uma obra mais complexa do que o livro de Stephen King. O diretor quis abordar a impossibilidade de se fugir dos fantasmas do passado. Obcecado por criar obras definitivas em todos os estilos, Kubrick queria elevar um gênero considerado “menor” – o terror – em ao status de obra de arte. Como fez ao longo da carreira, Kubrick também trouxe soluções inovadoras na parte técnica. O equipamento conhecido como Steadicam, que permite ao cinegrafista “vestir” a câmera para acompanhar cenas em movimento, foi aperfeiçoado por Kubrick para filmar as sequências em que o garoto Danny Torrance anda de triciclo pelos corredores do hotel Overlook em algumas das cenas mais marcantes do filme. Pouco utilizado anteriormente, o artefato passou a ser adotado por diversos diretores após o sucesso do filme.

Divulgação

O hotel Overlook da história fica no Colorado, mas o cenário imortalizado por Kubrick é o Timberline Lodge, no estado de Oregon. Ironicamente, o hotel no qual Stephen King se inspirou para o livro se chama “The Stanley Hotel”, batizado em homenagem ao inventor e empresário Freelan Oscar Stanley – não há nenhuma ligação com Stanley Kubrick, embora hoje o local use a conexão com o filme para se promover. Além de shows e atrações com foco no terror, o hotel pretende sediar o Museu do Terror, com memorabilia e objetos de filmes do estilo. Além da série “Overlook”, J.J. Abrams vai adaptar outra história de Stephen King, dessa vez para a plataforma de streaming Apple TV+. “Love – A História de Lisey” terá como protagonista a atriz Julianne Moore e roteiro do próprio King.

Será que Lisey entrará para a história como Jack Torrance? Daqui a quarenta anos teremos a resposta.

Duelo de gigantes
Stephen King odiou o filme de Stanley Kubrick

Divulgação

O autor nunca perdoou o diretor por ter feito uma adaptação bem diferente do original – ainda mais porque o filme ofuscou o livro. Por isso, fez questão de batizar a minissérie para a TV de “Stephen King’s The Shining” (“O Iluminado de Stephen King”). Obviamente, os 13 episódios dirigidos por Mick Garris não chegam aos pés da versão de Kubrick. King também não gostou porque o livro é uma de suas histórias mais pessoais: assim como Jack, o protagonista, King também era alcoólatra. Ele chamou o filme de “Cadillac sem motor”, acusando Kubrick de focar na parte visual, não na história.

 

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior