Esportes

Série A da Itália perde 500 milhões de euros com pandemia

ROMA, 28 SET (ANSA) – O CEO da Lega Serie A, Luigi De Siervo, afirmou nesta segunda-feira (28) que a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) causou um prejuízo de cerca de 500 milhões de euros na principal divisão do futebol italiano.   

Em uma entrevista à rádio “Anch’io lo Sport”, De Siervo definiu o valor como um “número monstruoso”.   

“Até o momento, o prejuízo para a Série A é de cerca de 500 milhões de euros, o que é um número monstruoso. A Série A é o motor da indústria do futebol no país, que não é apenas entretenimento, mas também cria empregos para centenas de milhares de pessoas. Este dano também afeta as ligas menores”, disse o CEO da Lega Serie A.   

De Siervo também informou que a Série A possui cerca de 1,4 bilhão de euros em receitas de direitos de televisão. O dirigente revelou que esse orçamento está se protegendo contra um “contexto complexo”.   

“O futebol precisa ser protegido, porque a qualidade do espetáculo da nossa Série A cresceu”, disse De Siervo.   

A Série A do Campeonato Italiano entrou na sua segunda rodada.   

Com duas vitórias em dois jogos, o Napoli lidera o torneio com os mesmos seis pontos de Hellas Verona e Milan. (ANSA).   

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Mulher sobe de salto alto montanha de 4 mil metros

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar