Esportes

Sérgio Oliva fatura mais um bronze no hipismo dos Jogos Paralímpicos

O brasileiro Sérgio Oliva brilhou mais uma vez no hipismo dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Nesta sexta-feira, último dia de disputas da modalidade, ele repetiu o que fez na quinta e conquistou a medalha de bronze nas finais estilo livre individual misto para grau IA. No dia anterior, ele ficara em terceiro na final individual para grau IA no adestramento.

Com a montaria Coco Chanel, Sérgio somou 75.150 pontos. Mas novamente ficou atrás das britânicas Sophie Christiansen e Anne Dunham, assim como aconteceu na quinta. Christiansen repetiu o ouro, com Athene Lindebjerg, com 79.700 pontos. E Dunham somou 76.050 pontos com a montaria Ljt Lucas Normark.

Esta foi a segunda medalha conquistada por Sérgio, em sua terceira Paralimpíada – esteve Pequim-2008 e Londres-2012. Ele agora se junta a Marcos Fernandes Alves, bronze duas vezes em Pequim, como os únicos medalhistas do Brasil no hipismo em Jogos Paralímpicos.

O brasileiro faz parte do grau IA – atletas com limitações severas de funcionalidade nos quatro membros e no tronco – porque sofreu paralisia cerebral por falta de oxigenação quando ainda estava na incubadora. Aos 13 anos, sofreu um acidente em uma porta de vidro e lesionou os nervos na altura das axilas, perdendo os movimentos do braço direito.

O Brasil contou com outro representante no hipismo nesta sexta. Marcos Fernandes Alves, então único medalhista brasileiro na modalidade paralímpica até Sérgio, competiu na final do grau IB, porém sem subir ao pódio. Ele terminou a prova na sétima e última colocação, com 67.700 pontos. O ouro foi para o britânico Lee Pearson, com 77.400.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Fotos íntimas de apresentadora italiana são vazadas em aplicativos de mensagens no Brasil
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Após se aposentar da Globo, Sérgio Chapelin aparece com novo visual; veja
+ Nick Cordero morre aos 41 anos, vítima de complicações da Covid-19
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior