O Dia

Sequestrador de ônibus na Ponte Rio-Niterói não tinha antecedentes criminais

William Augusto foi atingido por atiradores de elite da PM que estavam em cima de um caminhão do Corpo de Bombeiros

Crédito: Reprodução

William Nascimento estaria com problemas pessoais (Crédito: Reprodução)

Rio – O sequestrador do ônibus na Ponte Rio-Niterói, identificado como William Augusto, não tinha antecedentes criminais. A informação foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Civil.
William foi atingido por atiradores de elite da PM que estavam em cima de um caminhão do Corpo de Bombeiros. O homem foi baleado em um momento em que deixou o veículo da linha 2520 (Alcântara x Estácio). Foram feitos pelo menos sete disparos. Nenhuma vítima ficou ferida.
A PRF chegou a divulgar que o sequestrador tinha quatro passagens pela polícia, mas a informação foi corrigida.
O sequestro ao ônibus da viação Galo Branco chegou ao fim por volta das 9h desta terça-feira.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o sequestrador chegou em parada cardiorrespiratória ao Hospital Souza Aguiar, onde “foi constatado o óbito pela equipe médica do hospital”.
De acordo com o porta-voz da Polícia Militar, coronel Mauro Fliess, o sequestrador foi morto por um sniper. Em entrevista ao Bom Dia Rio, o porta-voz afirmou que o homem estava com uma arma de brinquedo.
“Essa é a Polícia que queremos ter. Neutralizamos o marginal que, neste momento, está em óbito no local. Prestamos atenção e solidariedade à saúde de todos os reféns. Gostaria de parabenizar todos os envolvidos nesta operação que, com a convicção que tínhamos, terminou com êxito”, ressaltou o coronel.
Ainda durante a entrevista, Fliess informou que o homem jogou combustível no ônibus e ameaçava incendiá-lo.