Brasil

Senadores calculam ter 11 votos para 2º instância na CCJ, abaixo do necessário

Crédito:  Waldemir Barreto/Agência Senado

Senadores da bancada lavajatista calculam ter 11 votos garantidos a favor do projeto que prevê a prisão após condenação em segunda instância na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A proposta é o primeiro item da pauta do colegiado, nesta terça-feira, 10.

São necessários, no entanto, 14 votos entre os 27 integrantes da comissão para que o projeto seja aprovado. Na manhã desta terça-feira, antes da sessão, parlamentares favoráveis ao projeto faziam corpo a corpo na porta da CCJ pedindo voto para colegas. A reunião estava agendada para ter início as 10h.

Parlamentares esperam que o projeto seja aprovado na CCJ nesta terça. A tendência, no entanto, é que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), segure o texto no plenário até que a Câmara conclua a votação de uma proposta sobre o tema.

“Fizemos cálculos ontem (segunda-feira) na pena do bico, tínhamos 11 certos e oito de oposição”, comentou o senador Lasier Martins (PODE-RS), autor do projeto que originou o texto em discussão.

Senadores se movimentam para votar na CCJ, também nesta terça-feira, o pacote anticrime aprovado pela Câmara na semana passada. Sendo assim, a comissão vai abrir mão do projeto original do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, cuja versão idêntica tramita no Senado.