Mundo

Senador chileno propõe ‘Lei Bolsonaro’ para cassar políticos que divulgam fake news

Crédito: Twitter/Tânia Rêgo/Agência Brasil

O senador chileno Alejandro Navarro (esq.) e o candidato Jair Bolsonaro (dir.) (Crédito: Twitter/Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Alejandro Navarro, senador chileno da região de BioBío, quer implementar a ‘Lei Bolsonaro’ para combater as fake news no país. Segundo o parlamentar, a medida poderia até mesmo destituir os políticos e candidatos que propagarem notícias falsas em discursos ou redes sociais.

De acordo com a nota emitida por Navarro em seu site oficial, “a reforma é necessária para proteger a democracia”. Ele pretende propor a medida em breve ao congresso chileno e espera punições duras, como “a cassação do cardo ou da candidatura política quando for o responsável pela difusão de notícias falsas contendo algum adversário político durante a campanha”.

“A proposta acabará com a nova maneira de fazer polícia que a extrema-direita latino-americana adotou, usando Big Data”, diz Navarro em seu texto.

Ao ser questionado sobre o nome da lei, o senador chileno explicou e criticou Bolsonaro, inclusive citando polêmicas envolvendo o candidato do PSL.

“[O nome] é devido a questionável forma de fazer política que o candidato presidenciável do Brasil Jair Bolsonaro, que foi surpreendido por empresários amigos pagando a difusão de notícias falsas sobre seus adversários, como a distribuição do ‘kit gay’ para crianças nas escolas; a utilização de uma atriz [Beatriz Segall] morta para dizer que uma apoiadora de Bolsonaro foi agredida; que Haddad defendeu o incesto em um de seus livros e que apresentaria uma lei para legalizar a pedofilia”, disse Navarro.

Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos, também é citado na nota emitida pelo senador chileno.