Economia

Senado dos EUA discute controle de gigantes de tecnologia em plataformas online

Nos Estados Unidos, grandes empresas de tecnologia e seus críticos estão aumentando os esforços de lobby no Congresso nesta semana. Um importante painel do Senado discute uma legislação que busca enfraquecer o poder de mercado das plataformas de tecnologia dominantes.

A legislação antitruste, que deve ser considerada pelo Comitê Judiciário do Senado nesta quinta-feira, 20, impediria plataformas online dominantes, como o site de comércio eletrônico da Amazon e o mecanismo de busca Google da Alphabet, de darem preferência a seus próprios produtos e serviços em detrimento a outras empresas.


Defensores do projeto de lei dizem que o domínio da internet por um punhado de grandes empresas impede que companhas menores de tecnologia ganhem participação de mercado, sufocando a inovação. As big techs, por sua vez, contestam que a legislação proposta as impediria de fornecer serviços gratuitos ou de baixo custo para consumidores e pequenas empresas.

Com início previsto para esta quarta, a Associação da Indústria de Computador e Comunicações (CCIA, na sigla em inglês) planeja lançar a campanha “Não quebre o que funciona” (Don’t Break What Works, em inglês) tendo os esforços anti-techs como alvos. O grupo representa companhias do setor, incluindo Amazon, Google, Meta (ex-Facebook) e Apple.

Os anúncios da campanha serão veiculados primeiro em Washington e depois nos Estados de origem dos senadores no Comitê Judiciário, de acordo com consultores envolvidos. Segundo eles, o grupo comercial está preparado para gastar vários milhões de dólares na campanha, a depender de quanto tempo batalha legislativa perdurar.