Com selfies e músicas cativantes no TikTok, o partido francês de extrema direita Reagrupamento Nacional (RN) quer atrair jovens para as eleições legislativas que podem levá-lo ao poder.

O seu líder, Jordan Bardella, poderá tornar-se primeiro-ministro e, aos 28 anos, é provavelmente o político francês que está, em termos geracionais, mais próximo desse eleitorado. O candidato, com 1,6 milhão de seguidores, é uma das personalidades favoritas do TikTok.

Bardella mostra seu cotidiano, por exemplo, a sua paixão pelos doces ou o seu amor pelo vinho rosé (sem sulfitos).

Nesses vídeos curtos ele evita falar sobre o histórico de seu programa.

“É divertido, temos coisas em comum”, disse à AFP Maya, de 18 anos, que acompanhou de perto a campanha de Bardella para as eleições europeias, em 9 de junho, nas quais o RN foi o grande vencedor com 31,4% de votos.

As eleições legislativas francesas, convocadas de surpresa pelo presidente Emmanuel Macron, realizam-se em dois turnos, em 30 de junho e 7 de julho.

“Não ouço bobagens sobre coisas que aconteceram antes do meu nascimento, eles falam do presente”, acrescenta esta estudante do ensino médio dos subúrbios de Paris, pouco politizada, mas que votou em seu partido.

“Não estava nos meus valores, não me senti particularmente bem depois, mas Bardella era o único candidato credível”, diz.

Assim como ela, 25% dos eleitores de 18 a 24 anos votaram no RN nesta eleição, segundo o instituto Ipsos, e 22% dos eleitores dessa faixa etária pretendem dar-lhes o voto nas eleições legislativas, segundo uma pesquisa publicada semana passada.

– Pequenos corações –

Jordan Bardella “é o único que incorporou os códigos de autenticidade em seu conteúdo de vídeo”, detalha Tristan Boursier, pesquisador da Faculdade de Ciências Políticas de Paris e especialista em extrema direita, à AFP.

Junto com conteúdos clássicos de comunicação política, em que Jordan Bardella aparece de terno, outros vídeos “o mostram em sua vida privada, bebendo pastí, preparando-se para um comício onde se sente desconfortável”, explica o especialista.

“Isso o torna simpático, humano e o apresenta como autêntico.”

Outras personalidades políticas como Manon Aubry, ex-líder de lista da A França Insubmissa (LFI, esquerda radical) nas eleições europeias, têm conteúdos mais centrados no programa e nas ideias, aponta Boursier.

Algumas montagens amadoras, com corações e estrelas em um fundo de música cativante, destacam o físico de Jordan Bardella.

Paralelamente a essas “fan edits”, inspiradas no universo do K-pop (pop coreano, muito popular entre os jovens), o próprio candidato participa das tendências do TikTok, como vídeos humorísticos durante suas viagens de campanha.

“Ele é uma jovem personalidade política, por isso pode brincar com o mimetismo e o efeito espelho com o público principal do TikTok”, resume Marie Neihouser, pesquisadora da Universidade de Toulouse (sudoeste), à AFP.

– Aposta para o futuro –

Esta personalização oferece a oportunidade de se livrar da imagem potencialmente repulsiva do RN e de “implementar a estratégia de normalização do RN a nível pessoal”, acrescenta a pesquisadora.

“Não creio que todas as pessoas que o seguem sejam necessariamente eleitoras dele”, relativiza um porta-voz do TikTok, para quem as milhões de “curtidas” que Jordan Bardella tem na plataforma não são necessariamente sinônimo de voto ou adesão.

Mas com o TikTok, Jordan Bardella aposta também e, sobretudo, na sua futura carreira política.

“Os adolescentes de hoje serão os eleitores de amanhã. Ao associá-los a partir de agora ao seu conteúdo, você ancora sua imagem entre eles”, finaliza.