Esportes

Seleção feminina de tênis de mesa testa variações de estilos de jogo para Tóquio


A seleção brasileira feminina de tênis de mesa está treinando na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro, desde o último sábado. Na reta final de preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, mais do que apenas a intensidade de repetição dos movimentos, acostumar as atletas aos estilos variados das adversárias são um dos focos a serem trabalhado pela equipe técnica da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM). A estreia acontecerá no dia 24 de julho e os detalhes são observados no dia a dia dos treinos.

Essa variação tem sido trabalhada nos treinamentos. Além disso, simulações de jogos são realizadas pelos técnicos Lincon Yasuda, Hideo Yamamoto e Lígia Silva, com a equipe da Olimpíada e com os jovens que vão disputar os Jogos Pan-Americanos Juniores, no final deste ano.

“Está sendo um período muito bom, de treinos intensos e ao mesmo tempo leves. Acho que temos que focar mais nos detalhes que precisamos, não só nas jogadas, mas algumas coisas mais técnicas, alguma jogada que você faz com maior frequência, pois tudo o que você treinou está neste ciclo também”, explica Bruna Takahashi.

Atleta de estilo ofensivo e com muita garra nas partidas, Bruna representa uma característica bem comum das brasileiras desta seleção. A adaptação a enfrentar outros estilos durante as partidas pode ser uma dificuldade. A escolha dos próprios sparrings neste período foi feita exatamente pensando nisso.

“O Gustavo Yokota é um cateiro, defensivo, existem poucos no Brasil. É preciso um jeito diferente para tocar a bola, as estratégias são diferentes. Geralmente são incômodos. A Bruna treinou com ele. O Carlos Ishida é interessante, por ser canhoto. Muda o saque, a orientação de jogo, o direcionamento das bolas. Já o Guilherme Teodoro e o Kenzo Carmo controlam mais o jogo e proporcionam muitos ralis”, explica Yasuda, coordenador técnico das seleções olímpicas.

A seleção feminina de tênis de mesa treina até esta sexta-feira, no Rio de Janeiro. Logo depois, as atletas já entram em quarentena, evitando qualquer contato com agentes externos.

O segundo período, com a presença de todas as atletas e do técnico Hugo Hoyama, será realizado de 4 a 8 de julho, em São Paulo. Na sequência, a equipe segue para Hamamatsu, no Japão, onde faz a ambientação ao fuso horário e finaliza a preparação para a estreia nos Jogos. São importantes para variarem os estilos de jogo e ajudarem na preparação da equipe que vai a Tóquio.

Veja também
+ Corpo de jovem desaparecido é encontrado em caçamba de lixo
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Vídeo: família é flagrada colocando cabelo na comida para não pagar a conta
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio