Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Jorge Luiz Antunes, de 49 anos, que trabalhava como segurança informal no shopping de luxo Village Mall, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, estava cobrindo o plantão de um amigo. Ele foi morto com um tiro no rosto durante um assalto que aconteceu no último sábado (25). Ele ganharia R$ 180 pelo trabalho.

Em conversa com O Globo, a sobrinho de Jorge, a podóloga Kênia Cristina Antunes Honório, contou que o tio era pai de quatro filhos e que deixou de ir no aniversário de um dos netos para atender o pedido de um amigo:

“Era aniversário de um dos netos, ele não foi para cobrir um plantão e foi alvejado. Perdeu a vida por R$ 180. A diária do meu tio era R$ 180 e uma bolsa nesse shopping vale R$ 25 mil. Isso não pode ficar impune, mais um nome para estatísticas. Hoje, temos uma família desestruturada. Ele fazia de tudo pela família”, lamentou.

Kênia conta, ainda, que seu tio não trabalhava uniformizado, era um segurança informal, que ficava à paisana na entrada do shopping. Ela diz que a liberação do corpo está atrasada porque os documentos de Jorge sumiram no assalto.