Cultura

‘Se ninguém falar, não existe justiça’, diz Angelina Jolie sobre violência sexual

Engajada com a causa da violência sexual, a atriz Angelina Jolie comentou o estigma enfrentado por pessoas que sobreviveram aos assédios. “Violência sexual ainda é um assunto tabu. Mulheres e homens sobreviventes, e crianças que nasceram de estupro, são geralmente tratadas como se fossem eles que fizeram algo errado. Eles são rejeitados e estigmatizados, enquanto os culpados não são punidos. Isso é o que precisa mudar e quebrar o tabu é parte disso”, disse em entrevista à Marie Claire.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

Em 2012, Angelina lançou uma iniciativa em parceria com o governo britânico, batizada de “Preventing Sexual Violence in Conflict” (em português, “prevenindo violência sexual em conflito”). Além de ajudar a cessar os casos de assédio, o projeto busca minar o estigma social enfrentado pelas vítimas. Desde seu lançamento, o Reino Unido já ajudou milhares de sobreviventes fornecendo suporte médico, social e legal.

Em novembro, um festival realizado em Londres reuniu uma série de filmes abordando a questão social do assédio, especificamente a discriminação enfrentada pelas vítimas. “Eu acho que filmes têm o poder de nos fazer viver dentro da experiência de outra pessoa de um jeito único e diferente. Mas também é uma maneira muito importante de iniciar uma conversa, dizendo que sim, essas coisas acontecem e aconteceram no nosso país e precisamos abordá-las. Depois de guerra, violência sexual é o assunto que ninguém quer falar a respeito, que é varrido para debaixo do tapete. E se ninguém fala sobre isso, não existe justiça, cura ou encerramento”, enfatizou Angelina.

A atriz também reforçou a importância de se debater o assunto entre homens e mulheres. “Eu não falo apenas com minhas filhas. Falo com elas junto aos seus irmãos. Talvez essa seja a distinção mais importante. Não é um problema apenas de mulheres, e a solução é trabalhar com homens e mulheres. E meninas e meninos. Homens e meninos também são vítimas desses crimes e todas as sociedades precisam ter bem claro que não se pode tolerar esse comportamento”, completou.

Veja também

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Peugeot apresenta sua primeira moto feita em parceria com a Mahindra

+ A Fazenda 12: Jojo Todynho causa e pede óleo ungido a Edir Macedo

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea