Esportes

Scheidt encara Semana de Vela de Kiel como ‘treino de alto nível’ visando Tóquio

De olho nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, que foram adiados em função da pandemia do novo coronavírus e agora serão realizados em 2021, o velejador brasileiro Robert Scheidt entra na reta final de preparação para o retorno às competições de vela na Europa. Após a paralisação das regatas, o bicampeão olímpico vai disputar a tradicional Semana de Vela de Kiel, na Alemanha, entre os dias 5 e 13 de setembro. A disputa faz parte de sua programação para o ano que vem, quando se tornará recordista brasileiro ao participar da sétima Olimpíada na carreira.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

A Semana de Kiel vai ser o primeiro grande evento de vela após a quarentena. Por isso, além da tradição do campeonato, a expectativa é para uma disputa de alto nível. “Vai ser um evento cheio de restrições, mas é muito bom ter Kiel no calendário em 2020. Eles restringiram as inscrições para 70 barcos, mas acho que abrirão para mais velejadores. Estou animado com a possibilidade de voltar a competir em alto nível. Espero condições duras e muito frio no norte da Alemanha em setembro, mas vamos que vamos”, afirmou Schiedt.

Evento centenário da vela, a Semana de Kiel ocorre, normalmente, na última semana de junho, em pleno verão europeu. Como promove disputas de classes olímpicas e não olímpicas, costuma reunir cerca de dois mil barcos e cinco mil velejadores. Scheidt tem três títulos de Laser e dois de Star (sendo um Europeu disputado na cidade) em Kiel. Além das regatas na Alemanha, a programação do brasileiro para 2020 inclui o Europeu de Laser, programado para o mês de outubro, em Atenas, na Grécia, mas que ainda precisa de confirmação de data.

Para chegar a Tóquio em condições de brigar pela sexta medalha olímpica, Scheidt segue se preparando na Itália, onde reside com a mulher e os dois filhos. Nesta semana, retoma os treinos ao lado da equipe italiana de vela e do francês Jean-Baptiste Bernaz. “O Jean-Baptiste é meu companheiro há um bom tempo e é um dos melhores do mundo na atualidade, inclusive foi quarto no Campeonato Mundial de janeiro, na Austrália. Ter parâmetros em relação a outros velejadores é importante para entender em que nível está a sua velejada”, explicou.

Os treinos serão no Lago di Garda, na Itália. Scheidt vem alternando períodos de preparação com os italianos e o francês Bernaz desde o final de maio, quando a Itália liberou o retorno gradual das atividades físicas após o longo período de isolamento social. “Foram dias muito produtivos e estou contente por repetir a dose. Encerrei essas sessões me sentindo bem fisicamente e andando próximo a ele. Agora é seguir em frente e focar na Semana de Kiel”, contou.

Aos 47 anos, seis Olimpíadas, cinco medalhas e 14 títulos mundiais no currículo, Scheidt ainda encontra motivação para buscar evolução na classe Laser. “Quero chegar a Tóquio em condições de lutar pelo pódio. Ir apenas para participar não me interessa. Sigo um planejamento que leva em consideração o meu corpo, que já não é mais de um garoto. Também por isso é importante contar com parceiros na água, pois, como disse, ajuda a saber em qual nível está minha performance, especialmente em termos de velocidade”, completou.

Veja também

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea