Esportes

Scheidt encara Mundial da classe Laser com foco em evolução para Olimpíada

Atleta olímpico mais laureado do Brasil, Robert Scheidt vai estrear nesta terça-feira no Mundial da classe Laser com foco em uma competição ainda mais importante. Embora o seu objetivo seja conquistar um bom resultado em Melbourne, na Austrália, o velejador admite que usará a disputa como preparação para a Olimpíada de Tóquio. Como ainda não está 100%, ele quer aproveitar o campeonato para realizar correções e chegar no auge ao Japão.

“O objetivo é tentar fazer um bom Mundial, mas, acima de tudo, sem esquecer que é mais um evento no processo para medir forças e melhorar o que precisa ser melhorado visando a Olimpíada do Japão. Claro que quero fazer o melhor possível, mas sei que ainda não estou com 100% da minha forma”, explicou.

O Mundial de Laser será disputado até domingo, com duas regatas por dia. Estão inscritos 130 velejadores de 45 países. Preocupado com o desgaste da competição, Scheidt explica qual será a sua estratégia a partir desta terça-feira.

“Será muito importante começar com boas médias, evitar grandes erros nos primeiros dias e construir uma média de resultados. Assim, será possível conquistar classificação para a fase final, nos últimos três dias, quando o campeonato é realmente decidido”, complementou.

Aos 46 anos, Scheidt soma 11 títulos mundiais, sendo um juvenil, na Laser. “Já corri muitos Campeonatos Mundiais e ganhei várias vezes, mas é muito especial estar aqui na Austrália para mais uma disputa. Me faz lembrar quando comecei, com 17 anos”, completou.

Scheidt obteve o índice olímpico para Tóquio no ano passado, quando ficou em 12.º lugar no Mundial da Laser disputado em Sakaiminato, no Japão. Ele só não participará dos Jogos se outro brasileiro for ao pódio na competição em Melbourne, sendo que Gustavo Nascimento, de 24 anos, será o outro representante do País no evento.