Geral

Saúde prevê início de vacinação nas capitais de ‘3 a 5 dias’ após aval da Anvisa

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira, 13, que prevê o início simultâneo da vacinação contra a covid-19 em todas as capitais de “3 a 5 dias” após o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A pasta disse que o tempo é necessário para que as doses sejam divididas em lotes e enviadas para as maiores cidades de cada Estado, de forma que “ninguém fique para trás”.

As informações foram divulgadas em entrevista coletiva concedida à imprensa. O início simultâneo em todas as capitais, previsto pelo ministério, contrasta com a intenção do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que disse querer começar aplicar as doses imediatamente após a aprovação, o que pode ocorrer no próximo domingo, 17.

“Por que queremos começar com todos ao mesmo tempo? Temos um mote de que ninguém ficará para trás. No SUS, há o princípio da equidade e o da universalidade, de atender a todos”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco. “O Butantan e a Fiocruz são motivos de orgulho, mas não podemos tratar brasileiros de formas diferentes. Ninguém estará seguro até que todos estejam seguros”, completou.

Questionado sobre a possibilidade de São Paulo e Rio de Janeiro terem de esperar para começar a vacinação, já que poderão estar com as vacinas em seu território, Franco disse que os Estados não estão “perdendo (tempo)”, “o Brasil é que está ganhando”. Atualmente, seis milhões de doses estão sob guarda do Instituto Butantan, que por determinação da Anvisa não pode antecipar a distribuição “por uma questão legal”, informou o ministério.

A intenção de aguardar a chegada da vacina a todos os Estados não representa que as doses estarão em todos os municípios, explicou o ministério. Franco justificou o plano para as capitais em razão das dificuldades de transporte e logística que levar a vacina a todos os 5.570 municípios poderia ter. Mas esclareceu que a capilaridade vai aumentar exponencialmente ao longo dos dias. “A simples aprovação da Anvisa não nos permitiria, num estalar de dedos, fazer a vacina chegar a todos os postos de vacinação”, disse o secretário.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

O Estadão/Broadcast mostrou que o ministério planeja marcar o começo da vacinação no País em um evento no Palácio do Planalto, apesar de o próprio presidente Jair Bolsonaro afirmar que não pretende ser imunizado. A ideia é realizar a primeira imunização no País na próxima terça-feira, dia 19, data em que governadores devem estar em Brasília para participar de reunião com o ministro Eduardo Pazuello.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel