Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

americanas

Por Aleksandro Pereira, atleta e diretor comercial da Americanas S.A. 

“Desculpe, não posso fazer a reunião às 08h00. Tenho treino nesse horário”. Se a palavra treino fosse substituída por qualquer outra expressão conhecida das tradicionais agendas corporativas, como “reunião com fornecedor” ou “apresentação de resultados”, por exemplo, certamente a frase anterior não causaria a estranheza que provavelmente te causou. É um susto para muitas pessoas se deparar com indivíduos que priorizam a sua saúde física, emocional e o seu bem-estar. Ora, se a necessidade do profissional se manter ativo, motivado e engajado é fundamental para o sucesso e crescimento dos negócios, por que as atividades capazes de tornar isso tudo possível ainda não são entendidas por todos como indispensáveis (e prioritárias)?

Em 21 anos como uma liderança executiva no varejo, entendo a atividade física e a vida corporativa como indissociáveis. Decidi enxergar que meia hora de uma corrida ao ar livre, por exemplo, é tão relevante para a minha trajetória profissional quanto uma agenda semanal e produtiva com o meu CEO. Se não estiver feliz com as “entregas” relacionadas à minha saúde, provavelmente a infelicidade também vai atravessar a minha experiência no corporativo.

Mas entender esse modelo de rotina não foi fácil. Precisei conhecer o conceito de saúde integral e me adaptar a ele. Estar “saudável”, de fato, não tem relação só com ter índices razoáveis nos exames de rotina, mas estar em um estado de completo bem-estar físico, mental e social, entendendo a ideia de que corpo e mente são indivisíveis. Não é possível priorizar um aspecto e negligenciar os outros.

Foi a partir daí que passei a planejar a minha rotina de exercícios com o mesmo afinco que desenvolvo o business plan da minha diretoria. Tudo tem data e horário, tudo tem seu invite. A corrida, que pratico com a ajuda de uma assessoria especializada (Equipe Toscano), está no calendário na segunda, quarta, sexta e no sábado, e a musculação às terças e quintas. Nos horários, pratico a mesma rigidez das agendas de time: acordo às 5h15 de segunda a sábado; faço um lanche com suplementos, começo a treinar às 6h00 e vou assim até às 07h30. Em alguns dias ainda arrumo um tempinho para praticar meditação. Também sou o primeiro da fila em todas as iniciativas de bem-estar da companhia e uma presença confirmada no nosso circuito, a Corrida Todo Mundo Vai.

São todos esses rituais que garantem a minha produtividade até às 19h00, fim do expediente, e também a atenção que preciso dar no fim do dia à minha família – minha esposa e filho, Arthur, de 2 anos e 8 meses. Essa agenda termina pontualmente às 22h00, quando vou para a cama. A alimentação segue o mesmo caminho. Aprendi a entender meu nutricionista como um “gestor direto”, que orienta, auxilia e planeja minha alimentação de acordo com cada tipo de treino, com foco na melhora de rendimento.

Não é raro me perguntarem o segredo de conseguir manter essa agenda agitada. Respondo sempre da mesma forma: a disciplina é a palavra-chave. Assim como não deixo de cumprir meus deadlines na Americanas, nunca deixei de fazer exercícios físicos – o nível de prioridade é mesmo. Contei esta semana aos meus amigos e familiares que participei da minha primeira maratona (Maratona do Rio) com a mesma felicidade que celebrei a minha última promoção. Essas vitórias, para mim, têm exatamente o mesmo peso.

Afinal, se manter a saúde é fundamental, cada quilômetro percorrido deve ser comemorado com a mesma intensidade das atualizações no LinkedIn.