O ano é 2004. Você tem 15 anos e suas preocupações variam entre postar o testemunho perfeito no Orkut e escolher a única foto do dia a ser publicada no Fotolog antes do tempo na lan house acabar. A sua playlist com arquivos MP3 de baixa qualidade e origem duvidosa alternam entre hits de Charlie Brown Jr., Evanescence e Black Eyed Peas. E todas as suas conversas com amigos e contatinhos acontece no MSN Messenger. Sentiu saudades? Infelizmente, a máquina do tempo ainda não foi inventada, mas um novo serviço para PCs tenta alimentar uma pontinha dessa nostalgia.

Ele se chama Escargot e recria quase todas as funções do antigo Messenger, também conhecido como MSN, da Microsoft. Disponível gratuitamente nas versões web e desktop, basta os usuários se cadastrarem para reviverem a experiência do principal programa mensageiro dos anos 2000.

No sábado, 10, um vídeo publicado no TikTok viralizou ao mostrar uma usuária acessando o serviço aposentado em 2013. O truque era o Escargot.

Desenvolvido em parceria com o NINA, projeto dedicado à recriação de plataformas antigas, como ICQ, o Escargot usa engenharia reversa (que decodifica os códigos da plataforma-base) para replicar praticamente todas as funções do original. No entanto, os usuários precisam começar do zero, criando uma nova conta e adicionando contatos, sem acesso ao perfil anterior ou histórico de mensagens.

Embora o app seja gratuito e ofereça uma oportunidade de reviver a era do MSN, sua utilidade nos tempos atuais é questionável. As ferramentas de comunicação evoluíram consideravelmente desde então, e o Escargot pode ser mais uma experiência nostálgica do que um recurso prática para o dia a dia.

Para quem não viveu, vale lembrar: o MSN Messenger, lançado em 1999 pela Microsoft, rapidamente se tornou um fenômeno de comunicação online. Originalmente um simples app de bate-papo em tempo real, o programa evoluiu ao longo dos anos, foi integrado ao Windows e foi rebatizado como Windows Live Messenger em 2005.

Com 330 milhões de usuários em todo o mundo em seu auge, o Messenger foi um marco na história da comunicação digital. No entanto, com o surgimento dos smartphones e a ascensão de aplicativos concorrentes, como o Skype, a Microsoft optou por descontinuar o serviço em 2013, encerrando uma era da internet.

*Alice Labate é estagiária sob supervisão do editor Bruno Romani