Mundo

São Paulo, epicentro da pandemia no país, anuncia reabertura gradual da economia

Crédito: AFP

(Arquivo) O governador de São Paulo, João Doria (Crédito: AFP)

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quarta-feira (27) um plano de reabertura econômica gradual do estado, epicentro da COVID-19 no país.

“Manteremos a quarentena até 15 de junho, mas com a retomada de algumas atividades econômicas”, declarou Doria.

O estado tem um total de 83.625 casos e 6.220 mortes por COVID-19, equivalentes a 22% dos diagnósticos (391.222) e 26% do total de óbitos do Brasil (24.512).

Em números relativos, fica em 8º lugar em número de mortos, com 140 por milhão de habitantes.

Em Brasília, os shopping centers começaram a funcionar nesta quarta-feira.


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

O Distrito Federal somava 124 mortos até a terça-feira, com uma incidência de 41 mortes por milhão de habitantes (12º lugar).

Para entrar nos estabelecimentos, os clientes devem usar máscaras e passar por verificação de temperatura.

As medidas de confinamento têm sido criticadas repetidamente desde o início da pandemia pelo presidente Jair Bolsonaro, por causa do impacto econômico.

– “Plano São Paulo” –

São Paulo, o estado mais rico e populoso do país (45,69 milhões de habitantes) encontra-se desde 24 de março em quarentena parcial, que autoriza o funcionamento do comércio considerado essencial (supermercados, farmácias, etc.) e de algumas atividades industriais.

O “Plano São Paulo”, anunciado por Doria, divide o estado em 17 regiões e consiste em cinco fases, definidas de acordo com os critérios dos departamentos de saúde para conter a propagação do novo coronavírus.

Para passar de uma fase para outra, serão levados em consideração o número de casos e óbitos, a taxa de ocupação de leitos em unidades de terapia intensiva e o número de hospitalizações.

A operação das escolas e dos transportes foram excluídos do plano e ainda estão em discussão.

Somente as regiões do entorno da grande São Paulo estão na primeira fase, o que requer a manutenção das condições atuais.

A cidade de São Paulo (com 12,2 milhões de habitantes) e boa parte do estado estão na segunda fase, que permite a reabertura das atividades imobiliárias e shopping centers, sempre com restrições.

Outra parte menor do estado foi classificada na fase três, o que possibilita a operação, com restrições, de bares, restaurantes e salões de beleza.

“Se precisarmos dar um passo para trás, não hesitaremos”, esclareceu Doria, informando que as avaliações das condições para o funcionamento do comércio serão constantes.

Veja também

+ Restaurante japonês que fez festa de swing lança prato chamado “suruba”
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+ KTM lança a nova e espetacular 1290 Super Adventure S
+ 7 tendências de design de interiores que vão bombar em 2021
+ Chef revela o segredo de como fazer ovos mexidos cremosos de hotel
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!l
+ Boletim médico de apresentador da RedeTV! indica novo sangramento no cérebro
+ Yamaha se despede da SR 400 após 43 anos de produção