Esportes

Santos terá até 6 jogadores em tratamento durante período de suspensão de treinos

O elenco do Santos foi liberado para 20 dias sem atividades no CT Rei Pelé, na última terça-feira, em função da pandemia de coronavírus, mas alguns jogadores continuarão indo ao local nas próximas semanas para a realização de tratamentos contra lesões e problemas físicos. No total, até seis atletas devem passar pelo departamento médico do centro de treinamento nesse período.

O caso mais grave é o do atacante Renyer. O jovem, de 16 anos, rompeu o ligamento cruzado do joelho direito em treinamento da seleção brasileira sub-17 e passou por cirurgia em São Paulo, na semana passada. Agora, iniciou tratamento com os fisioterapeutas do Santos. Mas não deve retornar aos gramados em menos de seis meses.

O volante Alison também sofreu lesão nos ligamentos do joelho direito, ainda que menos grave do que a de Renyer. De qualquer forma, ele realiza tratamento e não tem previsão de volta ao time. A sua última partida pelo Santos foi o clássico contra o Palmeiras, em 29 de fevereiro, sendo que ele vinha sendo um dos jogadores de confiança do técnico Jesualdo Ferreira, tendo recebido, inclusive, a braçadeira de capitão.

Quem também precisará fazer trabalhos presenciais no CT Rei Pelé durante o período de reclusão do elenco será o goleiro reserva Vladimir, que atuou uma vez em 2020 e está com dores nas costas.

Nessas atividades, Alison, Renyer e Vladimir terão eventualmente a companhia de outros três jogadores, todos do setor ofensivo do elenco. Eduardo Sasha está em fase final de recuperação do trauma na região lombar, que o deixou fora do clássico contra o São Paulo. Kaio Jorge também não participou do San-São por um problema físico – entorse no tornozelo esquerdo. E Marinho ainda precisa melhorar a forma física após se recuperar de uma fratura no pé sofrida na primeira rodada do Paulistão, diante do Red Bull Bragantino.

“O Alison vai continuar fazendo fortalecimento. O Kaio Jorge teve uma entorse no tornozelo, mas está evoluindo bem, sem dor e já está correndo. O Marinho, que já está treinando e chutando bola, é importante fazer a parte de recondicionamento final. Tem o Sasha, com o trauma, mas que já correu e está melhor. Esses atletas, gostaríamos que ficassem aqui”, afirmou Ricardo Galloti, coordenador do departamento médico do Santos, à Santos TV.

Em geral, os trabalhos de recuperação desses jogadores vão ocorrer no período da manhã, no CT Rei Pelé. O restante do elenco recebeu uma cartilha com indicações para manter a forma física em atividades nas suas residências. Além disso, foram orientados sobre o coronavírus. “O departamento médico do Santos vai funcionar no período da manhã, em um regime menor de trabalho, para atender possíveis casos e continuar o tratamento de quem estava no DM”, concluiu.

Antes da pausa das competições em função do surto do coronavírus, o Santos era o líder dos seus grupos no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores. Os próximos compromissos do time nessas competições seriam contra Santo André e Olimpia, respectivamente, ambos como mandante.