Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

A situação ainda é bastante delicada, mas a seleção chilena resgatou suas esperanças em ir para a Copa do Mundo do Catar graças a bela atuação de seu ídolo, Alexis Sánchez. O camisa 7 fez dois gols, iniciou a jogada de outro e ainda acertou uma bola no travessão em dura vitória por 3 a 2 sobre a Bolívia na altitude de 3.640 metros de La Paz.

Com o importante resultado, os chilenos ultrapassaram Colômbia e Uruguai e subiram para o quinto lugar nas Eliminatórias, que hoje daria vaga na repescagem. Mas os rivais ainda entram em campo na rodada. A Bolívia praticamente deu adeus ao sonho, ficando a quatro ponto dos chilenos.

A maior dificuldade dos chilenos está nos próximos duelos das Eliminatórias. Visitam o Brasil e hospedam os uruguaios com necessidade de somar os seis pontos para não precisarem fazer contas ou torcer contra os concorrentes.

A seleção do Chile, com 16 pontos, e da Bolívia, com 15, chegaram à antepenúltima rodada com obrigação da vitória para seguirem sonhando com a Copa do Mundo. A ansiedade das equipes aumentou ainda mais com o dilúvio que castigou La Paz e atrasou o início do embate por 33 minutos.

Por causa da chuva forte, o gramado do estádio Hernando Siles ficou bastante encharcado e se tornando um rival a mais no primeiro tempo. Os chilenos, sem Vidal e Vargas, investiam nas bolas altas e os donos da casa nos chutes de longa distância para evitar as poças.

Até uma falta em Brereton começar a mudar a história do jogo. Alexis Sánchez bateu forte e surpreendeu o goleiro boliviano, aos 15 minutos. Em vantagem, o Chile cresceu e assumiu o comando da partida. Paulo Dias quase ampliou de cabeça e o chute de Brereton passou perto em bombardeio dos visitantes.

O Chile desperdiçou oportunidades e acabou castigado no primeiro ataque certo da Bolívia. Pulgar saiu jogando errado e Saavedra parou em milagre de Cortés, que espalmou para escanteio. Arce bateu rapidamente e o camaronês naturalizado boliviano Enoumba empatou, de cabeça.

A Bolívia voltou do vestiário mais disposta e quase virou com menos de um minuto. O artilheiro Marcelo Moreno acabou travado. Ainda desperdiçou outras quatro chances grandes, acertando a trave duas vezes, com Vaca e em uma cabeçada de Enoumba espalmada por Cortés e vendo o goleiro ainda fazer milagres em chutes de Moreno e Arce.

A Bolívia empatou quando era massacrada no primeiro tempo e sentiu o sentimento contrário na etapa final. Cansou de perder gols e acabou vazada. Sanchez cruzou para Isla, livre, rolar para trás para Nuñez colocar os chilenos novamente em vantagem.

Quando a Bolívia novamente esboçava uma reação, Sánchez ampliou com jogada individual e chute no canto do goleiro. O astro festejou agradecendo aos céus. Alívio? Nem bem comemoraram e os chilenos viram o artilheiro Moreno diminuir, de cabeça. Foi o 10° do goleador das Eliminatórias.

Seriam seis minutos de acréscimos angustiantes para ambos. Um precisava virar e o outro se segurar. Sánchez ainda carimbou o travessão cobrando falta e a defesa garantiu o triunfo importante atrás.