MOTTA SANT’ANASTASIA, 26 ABR (ANSA) – O vice-premier e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, criticou nesta sexta-feira (26) o dirigente do Milan, Leonardo, alegando que interromper os jogos por cânticos racistas é “bizarro”.   

Nesta quarta-feira (24), após a derrota do time rossonero contra a Lazio, no San Siro, pela Copa da Itália, Leonardo declarou que a partida deveria ter sido interrompida pelo árbitro Paolo Mazzoleni, depois que os jogadores Tiémoué Bakayoko e Franck Kessié foram alvos de músicas racistas pela torcida do clube da capital.   

O brasileiro também criticou Salvini, que é torcedor fanático do Milan, por não ter comentando sobre o caso.   

“Eu li a entrevista do Leonardo, pedindo que a partida fosse suspensa por causa de alguns imbecis. Os cantos de alguns imbecis não são interrompidos suspendendo os jogos, mas por 99% dos torcedores que são educados e respeitosos”, disse Salvini em entrevista à ANSA.   

O ministro italiano ainda afirmou que o pedido de Leonardo é “bizarro”, principalmente por ele ser diretor de um “prestigioso clube como o Milan”.   

Após ser eliminado da Copa da Itália, o Milan não briga mais por títulos nesta temporada. Agora, o clube rossonero focará no Campeonato Italiano para conseguir uma vaga na Liga dos Campeões.   

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

Na quarta posição, com 56 pontos, os comandados de Gennaro Gattuso estão na zona de classificação para a Champions. No entanto, o Milan é ameaçado por Atalanta (56), Roma (55), Torino (53), Lazio (52) e Sampdoria (48).   

O Milan voltará a campo neste domingo (28) para enfrentar o Torino, em Turim, pela 34ª rodada da Série A.(ANSA)


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias