Comportamento

Sala de aula virtual

Com mais tempo livre em casa e menos opções de lazer por causa da quarentena, brasileiros seguem os cursos online para se divertir, adquirir conhecimento e faturar

Crédito: Divulgação

JARDINAGEM Carol Costa: mais de 300 mil alunos em poucos meses (Crédito: Divulgação)


Sabe aquela aula de culinária que você sempre quis fazer e nunca encontrava tempo? E as orquídeas que você pensou em cultivar? Por que não fazer a sua própria cerveja? Esqueça as universidades e as pós-graduações: com a pandemia e a restrição das opções de lazer, viraram mania entre o público brasileiro os cursos online que ensinam tarefas do dia a dia e habilidades específicas, como desenho, jardinagem, crochê, escrita criativa e até certas modalidades de esporte. Para enriquecer o conhecimento virtualmente é necessário apenas vontade, tempo livre e um cartão de crédito — apesar da boa diversidade de cursos gratuitos, as melhores opções estão mesmo nas plataformas e canais pagos.

MESTRE CEOLA: aulas para profissionais ou apenas apreciadores de uma boa cerveja (Crédito:Divulgação)

De maneira geral, as aulas online são bem mais curtas que suas correspondentes presenciais, até porque o modelo tradicional é sob demanda, ou seja, vídeos sem interação com o professor. Para fazer um módulo do curso de hebraico do israelense Dror Marko, por exemplo, o aluno gastará cerca de R$ 200, valor equivalente a sete meses de estudo. Nesse preço estão inclusos o acesso aos vídeos da aulas gravadas, apostilas, dúvidas por meio do chat e alguns encontros ao vivo. A procura pelo curso, que integra o site “Hebraico sem Fronteiras”, surpreendeu o professor: ele jamais pensou que haveria tanto interesse em um idioma como o hebraico. Foram cerca de 30 mil alunos desde o início do projeto, em 2016. Em 2020, essa procura explodiu: só em abril, o aumento pelos cursos já ultrapassava os 30% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Além de judeus, atendo diversos evangélicos e pessoas que sonham em ler a Bíblia no original. Também atendo eruditos e poliglotas, pessoas que escolheram o hebraico como terceiro ou quarto idioma”, afirma Marko, que produz as aulas em casa e as divulga por meio de seu site e redes sociais.

Mercado lucrativo

Já Carol Costa, apresentadora de TV e professora de jardinagem, apostou em uma plataforma paga para facilitar a rotina como instrutora. Com cursos virtuais que chegam a contar com até 48 mil alunos na sala, ela optou por delegar a parte burocrática e tecnológica do processo a uma empresa de grande porte. “Cheguei a um patamar onde não dou mais conta sozinha. Durante a pandemia precisei contratar 66 pessoas só para me ajudarem com os meios de pagamento e redes sociais”, explica. Ela usa a Hotmart, uma plataforma que possui todas as ferramentas necessárias para a elaboração do curso, do streaming proprietário ao meio de pagamentos. Seu curso “Como tirar mudas” foi o grande sucesso do ano passado, com mensalidades de R$ 199. “Em abril, o primeiro módulo teve 25 mil alunos. Em setembro, já contávamos com 310 mil inscritos”, comemora.

Divulgação

Na plataforma internacional Masterclass é possível ter aulas com professores famosos, como o comediante Steve Martin

Formado em Química, Duan Ceola é o professor que transforma pessoas comuns em mestres cervejeiros por meio da Escola Superior da Cerveja e Malte, localizada fisicamente na cidade catarinense de Blumenau. Há cursos profissionalizantes com um ano de duração e outros, mais curtos, para quem quer apenas apreciar uma boa cerveja. “É possível aprender a fazê-la sem ter o professor para provar. Eu aprendi assim, quando não tinha essa moda em torno da bebida artesanal”, diz Ceola.

Quem procura aperfeiçoar suas técnicas profissionais também encontra um mercado repleto de opções. Plataformas como Domestika, Udemy e Coursera oferecem disciplinas simples, como técnicas de desenho, noções de marketing digital e até aulas de filosofia, história e economia. Já quem prefere ter aulas com professores famosos, o melhor é investir no inglês e assinar a plataforma MasterClass. Ainda sem legendas em português, é possível aprender cinema com Spike Lee e Martin Scorsese, escrita com Dan Brown e Neil Gaiman e até a fazer comédia com o ator Steve Martin. Com tantas opções para adquirir conhecimento online, aprender ficou fácil, divertido e gostoso.

Veja também
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ ‘Transo 15 vezes na semana’, diz Eduardo Costa ao revelar tratamento por vício em sexo
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago