Saiba quando oferecer o primeiro alimento ao bebê

Crédito: Pexels

(Crédito: Pexels)


Tanto a OMS (Organização Mundial de Saúde) quanto a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) indicam aleitamento materno exclusivo até os 6 meses, quando deve-se iniciar a introdução alimentar do bebê, mantendo o aleitamento complementar até 2 anos ou mais. Algumas situações impedem que o aleitamento materno exclusivo seja estendido até os 6 meses, como por exemplo para as mães que precisam retornar ao trabalho no fim da sua licença maternidade, geralmente de apenas 4 meses. Vale ressaltar que o desmame precoce não é indicado, e não representa nenhum benefício para a mãe nem para o bebê, porém quando necessário é possível fazê-lo com cuidado para garantir as necessidades nutricionais e afetivas da dupla mãe/bebe. 

REVELADO! Conheça o guia de alimentação ideal para seu filho!

O principal objetivo do 1ª mês de introdução alimentar é a experimentação e exploração do universo dos alimentos. Novas texturas, formas, cores e sabores passaram a fazer parte da rotina do bebê. Nesse momento, o maior objetivo é construir um ambiente agradável e seguro para o bebê, onde ele goste de estar e se sinta encorajado a voltar. Garantindo um ambiente acolhedor no momento das refeições, o alimento ganha a possibilidade de ser um veículo de afeto e carinho, assim como o leite materno. 

Nunca forçar o babê a comer, não mantê-lo sentado por muito tempo no início e não se intimidar com as carretas, podem ser bons conselhos para os primeiros dias de introdução alimentar. O bebê não precisa receber um prato de comida com 5 cores, no dia seguinte que completa 6 meses. É fundamental que a introdução seja lenta e gradual, sempre levando em consideração as mensagens dos bebês. O pratinho completo só precisa começar a aparecer na vida dele, lá para os 7º, 8º mês. Saber disso traz um alívio enorme para as mães, que reflete numa introdução alimentar mais tranquila e consequentemente na melhor aceitação do bebê aos novos alimentos. 

À medida que o bebê for se familiarizando com os alimentos experimentados é possível evoluir na consistência e nas combinações deles. Desta forma, quando o bebês estiver próximo a completar 1 ano, ele poderá receber a comida da casa. Parece cedo, mas não é. 


+ Atleta de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid 15 dias após perder o pai pela doença
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



Com 1 ano o bebe já tem capacidade digestiva de comer a mesma comida da família e esse deve ser o objetivo. Dessa forma, toda a dinâmica alimentar da família flui com mais leveza e simplicidade, é uma única comida para todos os membros da família, que podem fazer as refeições juntos compartilhando momentos incríveis em volta da mesa.

Conheça agora o guia de alimentação ideal para seu filho

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Sobre o autor

Nutricionista, Formada pela USU - Rio de Janeiro em 2003, especializada em alimentação infantil. Trabalha com crianças desde 1999, quando, ainda na faculdade, dava aulas de capoeira. Em 2013 estreou como apresentadora no canal GNT dos programas Socorro! Meu Filho Come Mal, Cozinha Colorida da Kapim e, em 2018, o Socorro! Meus Pais Comem Mal. Autora de 2 livros, homônimos dos programas, um deles com mais de 60 receitas para a família toda colocar a mão na massa. Kapim é mãe de dois adolescentes muito legais e que comem superbem, Sofia (15) e Antonio (13). Nesses mais de 20 anos trabalhando com crianças, já ajudou a transformar e melhorar os hábitos alimentares de milhares de famílias, sempre buscando uma conexão saudável entre todas as partes envolvidas: pais, filhos e o alimento.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.