Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Com o passar dos anos, além do envelhecimento, muitos fatores se alteram, não somente no aspecto físico, como na saúde em geral. Após os 30 anos, por exemplo, acontece naturalmente a diminuição da densidade mineral óssea — condição ainda mais acelerada entre as mulheres —, conhecida como osteopenia, que pode ser uma precursora das doenças ósseas osteomalácia ou osteoporose

+ 5 fatores que indicam a chegada da velhice e como amenizá-los

+ Saiba como prevenir a menopausa precoce

Para evitar as doenças ósseas, é imprescindível a mudança alimentar, com a inclusão de cálcio e vitamina D, nutrientes que desempenham os papéis vitamínicos/minerais mais cruciais no desenvolvimento ósseo. Além da dieta, manter o controle de peso e praticar atividade física adequada, incluindo treinamento de força ou resistência duas vezes por semana, ajuda a retardar a perda óssea ou fortalecer os ossos existentes.

Com informações do “Eat This, Not That”, confira a seguir três principais alimentos capazes de evitar doenças ósseas:

Leite e laticínios

Leite e laticínios são boas fontes de cálcio. Veganos também podem se beneficiar, pois o grupo não exclui as opções vegetais, como amêndoa, soja ou aveia. 

Folhas verdes escuras

As folhas verdes escuras também são fontes de vitaminas e cálcio, além de ricas em antioxidantes. Portanto, nas próximas listas de compra inclua: couve, espinafre, agrião e rúcula. 

Peixes

As proteínas completam a lista de alimentos importantes para os ossos, e nesse quesito os peixes são destaques entre as fontes de cálcio, principalmente opções como salmão, sardinha e bacalhau.