Saiba como fazer as crianças provarem novos alimentos

Crédito: Pixabay

(Crédito: Pixabay)

Até os 6 meses de idade o bebê só precisa do leite materno, mas a partir dessa idade começa a fase das experimentações, que de certa forma não para nunca mais. Estar disposto a experimentar novos alimentos é ter sempre a chance de conhecer um novo alimento favorito.

No primeiro mês de introdução alimentar, os alimentos devem ser oferecidos com leveza e sem pressão para que o bebê coma de tudo. Esse é o momento de conhecer novos sabores, texturas e temperaturas, é importante que isso aconteça de maneira lenta e gradual.

REVELADO! Conheça o guia de alimentação ideal para seu filho!

É preciso que os pais tenham muita calma e paciência para não passar afobação e ansiedade para o bebê. Aos poucos o bebê vai demonstrando suas preferências, enquanto os pais devem continuar oferecendo, eventualmente, os alimentos antes recusados, para que aos poucos o bebê se acostume com os novos sabores. 

Neste momento existem muitas coisas novas acontecendo no entorno do bebê, ele mudou de posição, agora ele enxerga a mãe por um novo ângulo, tem novas texturas e a variação de temperatura dos alimentos, é muita novidade, o sabor é apenas uma delas. Assim como é fundamental ter atenção e delicadeza para perceber quando o bebê ou mesmo a criança, já maior, não gosta de determinado alimento mesmo depois de experimentá-lo várias vezes.

As crianças têm por impulso explorar o mundo. Se elas ficam soltas num jardim, logo acham uma borboleta e somem atrás dela, na praia correm e se jogam no mar como se o dominassem, e podem ficar horas brincando com a areia e explorando suas possibilidades. Se colocarmos um celular na mão delas, são capazes de nos dar aula.  Elas são curiosas por natureza, querem saber como tudo funciona e todos os porquês da vida. Isso é lindo, mas por que isso não acontece com os alimentos? 


+ Rapper implanta diamante de R$ 128 milhões no rosto
+ PR: Jovem desaparecida é encontrada morta; namorado confessa crime
+ Galo bota ovos e surpreende moradores de Santa Catarina

Porque nos alimentamos de emoções também, e a resistência das crianças por experimentar alimentos novos pode estar relacionado aos sentimentos e a reação dos adultos. Ao experimentar um alimento, a criança sabe que corre o risco de não gostar, e poucas vezes a recusa da criança por um alimento é tratada com leveza e naturalidade.

É comum se usar frases como: “A mamãe fez com tanto carinho, vou ficar triste”. “O papai vai ficar chateado se você não comer”, ou, ainda, “Tem crianças na África morrendo de fome e você não quer comer”. 

Esses argumentos tiram a criança do lugar de explorar e experimentar e a coloca culpada, paralisando-a. Nenhuma criança quer ser responsável pela tristeza da mãe, pela frustração do pai, muito menos pela fome no planeta. Portanto, a melhor forma de lidar com a recusa é agindo com naturalidade, usando frases como: não gostou, não tem problema, amanhã a gente tenta um outro alimento, vai que você gosta. 

Alguns alimentos não são aprovados logo de cara, é preciso um tempo para ir se acostumando com o novo sabor. Muitos adultos adoram uma cervejinha gelada, mas poucos foram os que gostaram logo no primeiro gole. O ambiente, as referências emocionais da experiência e os exemplos fazem muita diferença para a aceitação de novos sabores.

Não desista nunca de oferecer. Existe um estudo que diz que é preciso experimentar o mesmo sabor entre 8 e 10 vezes para que se tenha certeza se gosta ou não dele. Se pensar que a depender da forma de preparo um alimento pode mudar completamente seu sabor, será preciso experimentar muitas e muitas vezes o mesmo alimento até ter certeza que não gosta.

Sem contar que as papilas gustativas se renovam de tempos em tempos, trazendo uma nova percepção dos sabores. Isso tudo para deixar claro que não vale desistir de oferecer novos alimentos para as crianças nunca.

Conheça agora o guia de alimentação ideal para seu filho!

Veja também

+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Aprenda 5 molhos fáceis para aproveitar o macarrão estocado
+ Aprenda a preparar o delicioso espaguete a carbonara
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ Cientistas desvendam mistério das crateras gigantes da Sibéria
+ Sexo: saiba qual é a melhor posição de acordo com o seu signo
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Editora estreia com o romance La Cucina, uma aventura gastronômia e erótica


Sobre o autor

Nutricionista, Formada pela USU - Rio de Janeiro em 2003, especializada em alimentação infantil. Trabalha com crianças desde 1999, quando, ainda na faculdade, dava aulas de capoeira. Em 2013 estreou como apresentadora no canal GNT dos programas Socorro! Meu Filho Come Mal, Cozinha Colorida da Kapim e, em 2018, o Socorro! Meus Pais Comem Mal. Autora de 2 livros, homônimos dos programas, um deles com mais de 60 receitas para a família toda colocar a mão na massa. Kapim é mãe de dois adolescentes muito legais e que comem superbem, Sofia (15) e Antonio (13). Nesses mais de 20 anos trabalhando com crianças, já ajudou a transformar e melhorar os hábitos alimentares de milhares de famílias, sempre buscando uma conexão saudável entre todas as partes envolvidas: pais, filhos e o alimento.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.