‘Saí do governo por uma questão de princípio’, diz Moro

Crédito: Divulgação

Sergio Moro, Ex-Ministro da Justiça (Crédito: Divulgação)

Em conversa com a coluna, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro explicou a sua do governo Bolsonaro. Confira trechos da entrevista.

Por que o senhor deixou o governo?
Me senti compelido a sair por conta da interferência na Polícia Federal. A finalidade da troca de comando na instituição não era nada republicana. Saí por uma questão de princípio e o presidente Bolsonaro queria que eu saísse.

O sr. recebeu a oferta de uma vaga no STF para o senhor continuar no governo?
Eu poderia ter ficado no governo, aceitado a demissão de Valeixo, receitado cloroquina e aplaudido o fim do isolamento social, mas eu tenho valores dos quais não posso abrir mão. Meu lema é: faça as coisas certas, sempre.

O que achou da inclusão do seu nome entre os investigados por Aras no caso da sua denúncia de interferência na PF?
Me senti intimidado pelo procurador-geral.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Veja também

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Jack Daniel’s com maçã começa a ser vendido no Brasil

+ No Twitter, aparecem fotos do navio que transportou nitrato de amônio para Beirute

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.