ISTOÉ Gente

Sabrina Sato comemora retorno do reality show Made In Japão: “Eu senti muita falta”

Crédito: Reprodução Instagram

Neste final de semana voltará ao ar o reality show ‘Made In Japão’, comandado por Sabrina Sato, na Record TV. A apresentadora está feliz da vida com o retorno da atração, que será exibida aos sábados, às 22h30.

Uma novidade novidade do programa é que esta será uma versão dinâmica que destrincha, com muita cena inédita até seu desfecho, as tensões, alianças e intrigas entre as dez celebridades que disputam a divertida gincana fora do comum que vale o prêmio de R$ 500 mil.

Lembrando que buscam subir ao pódio os atores Sérgio Hondjakoff e Gui Santana; os modelos e ícones da virada do século Luiza Ambiel e Flávio Mendonça; os atletas Richarlyson e Maurren Maggi, as influenciadoras digitais Babi Muniz e Silvana Oliveira; a passista Quitéria Chagas e o veterano em realities Dhomini, ex-namorado de Sabrina Sato.

“São dez participantes completamente diferentes, cada um com uma história de vida, e essa parte estava começando a ser mostrada quando houve a pausa na exibição do programa. Acredito que ficou aquela sensação de querer saber o que vinha depois”, afirmou Sabrina.

Devido à pandemia do novo coronavírus, o quadro precisou ser tirado provisoriamente do ar. Sabrina falou sobre isso e das reflexões ao longo deste período de isolamento social, à espera da volta da atração. “Estávamos em um ritmo frenético de gravações e, de repente, precisamos parar tudo. Mas tive a total compreensão de que foi necessário em razão de tudo o que aconteceu no mundo. Tudo parou: das pequenas às grandes emissoras. Neste momento de isolamento, refleti muito sobre a nossa vulnerabilidade e sobre qual é o nosso papel no mundo. Precisamos um do outro para ter um mundo melhor”, disse a japa.

Ela também falou da mudança de dia e horário do programa. “O Made in Japão vai voltar com perfil mais de reality de convivência, para que possamos conhecer melhor a história de cada participante e entender os acontecimentos da casa. Agora exibido como uma atração isolada, teremos mais tempo para mostrar isso, diferentemente de quando ele era um quadro dentro de um programa.

E continuou: “O Made in Japão estava só no começo, tinha muita água para rolar e muita coisa para apimentar ainda mais essa convivência. Agora, vamos levar a ‘roupa suja’ para fora da casa: vamos fazer lives em plataformas digitais, com os participantes, para que muito do mal-entendido dentro da casa, e que será exibido, seja resolvido… Ou não”.

Neste momento de isolamento social, a comunicadora contou como foi ficar longe das gravações. “Eu senti muita falta da rotina que eu tinha. Durante as gravações e nos bastidores, era tudo muito intenso. Mas agora estamos retomando contato aos poucos, com reuniões e chamadas de vídeo com a produção, seguindo todas as recomendações de saúde necessárias”, concluiu ela.